23 de outubro de 2020
Campo Grande 33º 22º

ABUSO SEXUAL

Menina diz que mãe agendava e a obrigava a se prostituir 3 vezes ao dia

A mãe está presa desde a madrugada da 5ª-feira, 15 de outubro

A auxiliar de serviços gerais, de 41 anos, presa em flagrante após a filha de 16 anos ser expulsa de casa e ligar para a Polícia Militar (PM), obrigava a menina a fazer – de 2 a 3 programas ao dia. O encontros eram agendados pela suspeita em Campo Grande. A informação foi trazida a público nesta 6ª-feira (16.out.2020) pela polícia, retirada do depoimento da menor.  

Conforme o depoimento, desde janeiro a menina era obrigada a praticar sexo com adultos. "A menina chorou durante o depoimento e se mostrou irritada e nervosa por ter que contar, repetir a história, então nós tivemos bastante cautela. Mas ela passou por atendimento psicossocial aqui na delegacia e disse que, desde janeiro, estava fazendo os programas durante a tarde. De manhã, tinha que cuidar dos irmãos menores enquanto a mãe trabalhava", afirmou ao G1 a delegada Franciele Candotti, responsável pelas investigações.

Ainda segundo a delegada, mantendo contato com clientes por WhatsApp e também por um aplicativo de conversas a mãe agendava os programas. "Ela disse que o valor era de R$ 50 a R$ 80, sendo que 60% ficava para a mãe. São ao todo 9 filhos, segundo a adolescente, sendo cinco deles adultos e que não moram mais com a mãe. Um deles ela não soube dizer e o restante mora com a mãe na mesma casa", explicou.

A mãe está presa desde a madrugada da 5ª-feira (15.out.2020), passou a noite em uma cela da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Nesta manhã (16.out) passou por audiência de custódia e, segundo a delegada, a mulher teve a liberdade provisória. O caso foi registrado como lesão corporal dolosa e favorecimento à prostituição.

*Com G1.