01 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

MS reduz os índices de acidentes de trabalho, mas aumenta os óbitos

O Ministério do Trabalho e Previdência Social, divulgou dados que mostra o registro de 10.840 acidentes de trabalho no Estado, contra 11.495 no ano anterior, uma redução de 5,6%. No entanto, se analisarmos o números de mortos, há um aumento de 28% se comparado a 2013 e de 64 % em 2012. O desembargador Sebastião Geraldo de Oliveira, gestor nacional do Programa de Prevenção de Acidentes de Trabalho da Justiça do Trabalho, que alerta sobre a culpa da maioria dos acidentes  acontece "pelo descaso de alguns empregadores  com a segurança e saúde dos seus trabalhadores".

Nesta quinta-feira (28), é marcada como o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, que lembra as vidas perdidas pelos acidentes de trabalho. Esta data também é marcada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), como o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, desde 2003.

Dados da Justiça do Trabalho de MS, apontam que a cada dez processos que dão entrada no órgão, um é relacionado a acidente de trabalho. O Tribunal Regional de Trabalho (TRT/MS), em 2015, recebeu 3.601 processos envolvendo acidentes de trabalho, um aumento de 10% em relação ao ano anterior.

O desembargador Sebastião Geraldo de Oliveira analisa que mecanismos mais eficientes nos empreendimentos, "reduzem acidentes, estimula a produtividade, mantém o empregado motivado e reduz os custos trabalhistas e cria um circulo virtuoso em beneficio de todos", avalia. Sebastião também define que com investimento sistemático em medidas de segurança e saúde dos trabalhadores por parte dos dirigentes patronais, gera uma cultura prevenção no ambiente de trabalho. " O conhecimento já acumulado indica que a grande maioria dos acidentes do trabalho e das doenças ocupacionais são previsíveis e, por mera consequência, são também preveníveis", afirma.

No Brasil foram registrados 704,1 mil acidentes, desses 2.783 mil levaram a óbito e por afastamento por mais de 15 dias foram 251,5 mil trabalhadores. As profissões da área de serviços tiveram mais de 363,8 mil casos, seguido pelo setor do comércio e reparação de veículos automotores com mais de 100,4 mil incidentes,  a industria com 295,7 mil e a construção com 59,7 mil trabalhadores acidentados.