22 de outubro de 2021
Campo Grande 32º 17º

CONTAMINAÇÃO SISTÊMICA

Não é poda, árvore 'gigante' será removida da Praça do Rádio Clube na Capital

Semadur explica que a ação está amparada em Lei, e que a remoção da árvore se faz nessessária

A- A+

"Falsa-seringueira...péssimo estado fitossanitário, ausência de vitalidade, risco de queda de parte (s) dela, diversos pontos de necrose no fuste e nos ramos, além de apresentar infestação de cupim e fungos (contaminação sistêmica)", argumentou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur), ao ser procurada nesta 4ª-feira (9.setembro), por estar cortando uma das árvores mais históricas da Capital, a seringueira localizada na Praça do Rádio Clube que tinha mais de 25 metros de altura. Ao tocarem na arvore a população reagiu solicitando de imediato a paralisação do que em primeiro momento foi especulada como poda, mas agora está confirmado, a árvore será derrubada. 

Em nota á imprensa a secretaria explica que a ação está amparada em Lei, e que a remoção da árvore se faz nessessária, já que, comforme a Semadur, galhos da Seringueira já haviam caído até sobre pessoas que circulavam pelo local. "considerando o estado fitossanitário, o risco de queda de parte(s) desta árvore e consequentes danos à integridade física de pessoas que circulam no local além de possível acidente em decorrência da queda de galhos que possam atingir a rede elétrica, a referida árvore se enquadra no Artigo 22 da Lei Complementar n. 184 sendo recomendada a remoção", informou a Semadur.  

Ainda segundo a secretaria, no mês de Julho/2020 foi realizada vistoria preventiva nas árvores estabelecidas na Praça do Rádio Clube, centro da Capital. Os laudos indicaram que a gigante tratava-se de uma 'Falsa-seringueira (Ficus elastica)'.

"No parecer técnico foi constatado o péssimo estado fitossanitário, ausência de vitalidade, risco de queda de parte(s) dela, diversos pontos de necrose no fuste e nos ramos, além de apresentar infestação de cupim e fungos (contaminação sistêmica) que estão atacando principalmente os ramos mais altos e mais espessos da árvore", explicou a Semadur.  

"Desta forma, conforme o Laudo de Vistoria, a Prefeitura está realizando a remoção da mesma", finalizou a nota.