17 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Políticos

Pivô em escândalo sexual tem prisão homologada na Capital

Fabiano Otero teve a sentença de prisão homologada pelo juiz substituto Albino Coimbra Neto. Otero é delator e mentor do caso de exploração sexual de menores que envolveu políticos de Mato Grosso do Sul em 2015.

A Justiça tentou notificá-lo seis vezes, mas todas foram frustradas, quatro já foram feitas, mas o réu se mudou há quatro meses da  casa que alugava, segundo informou a dona do imóvel ao oficial de Justiça.

Otero foi preso preventivamente em abril do ano passado. O esquema foi desmantelado pela Polícia Federal após denúncia do ex-vereador Alceu Bueno. O rapaz manteve relações sexuais com duas menores.

Os encontros eram gravados escondidos pelas meninas e o material foi usado para o extorquir. Como não conseguiu bancar a chantagem o ex-parlamentar foi até a política e fez a denúncia.

Flagrante

O mentor foi preso em flagrante quando pegava R$ 15mil do ex-vereador em um estacionamento de supermercado na Capital. Mas em outubro ele fez acordo de delação premiada e conseguiu passar para prisão domiciliar.  Dois meses depois o juiz Marcelo Ivo de Oliveira condenou cinco envolvidos no caso.

Fabiano foi condenado em 11 anos e 11 meses em regime fechado por extorsão, exploração sexual vulnerável corrupção de menores, associação para o crime e tráfico de menor para fins de exploração sexual.  Ele seria condenado em 23 anos e 10 meses de reclusão, mas devido o acordo de delação, sua pena foi reduzida pela metade.

Segundo os autos, a previsão de progressão de regime para o semiaberto é em abril de 2017, com base na data em que ocorreu a preventiva em 26 de abril de 2014. Para a liberdade condicional a data prevista é no dia 16 de abril de 2019.

Reús

O ex-vereador Alceu Bueno foi determinada pena de 8 anos e dois meses em regime fechado. Pelo cometimento de dois crimes de exploração sexual de vulnerável. Já o ex-deputado Sérgio Assis foi condenado ao regime semiaberto por seis anos pelo mesmo motivo.

Conforme a sentença proferia pelo magistrado, o empresário Luciano Pageu ficará mais tempo preso, serão 21 anos e 7 meses de regime fechado pelo cometimento dos crimes de exploração sexual de vulnerável, corrupção de menores, associação para o crime e por dois crimes de extorsão.

Pageu continua preso.  Já o ex-vereador Robson Martins acabou condenado m 9 anos e 4 meses de reclusão e terá que pagar 93 dias multa pelo cometimento de dois crimes de extorsão. Os políticos poderão recorrer em liberdade.