24 de janeiro de 2021
Campo Grande 29º 22º

Itaparica

Policial dá tiros dentro de hospital após exigir rapidez em atendimento, diz médica

Um policial deu tiros dentro do Hospital Santa Mônica, em Itaparica, Vila Velha, e causou pânico na unidade de saúde. Segundo funcionários, ele estaria drogado e exigiu rapidez no atendimento. O caso aconteceu por volta das 4h30 da madrugada desta quarta-feira (2), no Espírito Santo. Ninguém ficou ferido.

A Polícia Militar disse que a arma do policial foi recolhida como de praxe e que o caso está sendo apurado pela corregedoria da corporação. A reportagem ainda não conseguiu contato com familiares, nem com a defesa do tenente. A Polícia Civil disse que ainda não recebeu a ocorrência.

Segundo a médica que atendeu o policial, o tenente Marcelo Pain Maciel Filho, de 25 anos, disse que usou drogas e estava arrependido.  Uma técnica de enfermagem, que pediu para não ser identificada, contou que o PM chegou alterado e depois houve tiros e correria.

“A gente estava na recepção quando o paciente chegou para receber o medicamento. Ele foi para o repouso e voltou jogando a folha, com agressividade, em cima do balcão. A gente pediu para ele aguardar no box. Fomos pegar o medicamento dele na farmácia. Quando a gente voltou, viu que ele estava de lado, como quem esconde alguma coisa. Eu fiz a pulsão e, quando fui aplicar o medicamento, eu e minha companheira, escutamos o primeiro tiro. Foi bastante tiro. Foi muito assustador”, contou.

O policial confessou para a médica que usou drogas.

“Ele passou pela triagem, pelo enfermeiro. Já tinham me avisado para ter agilidade porque ele tinha sido grosseiro. Ele se identificou como policial e exigiu atendimento rápido. Ele falou que estava muito arrependido e triste por uma coisa que havia feito. Ele contou que estava fazendo tratamento psiquiátrico. Ele falou que fez uso de droga ilícita e que estava arrependido”, disse uma médica que não quis se identificar.

O policial foi transferido para o Hospital da Polícia Militar (HPM), nesta manhã. Ele passa bem, segundo a polícia.

Nota da PM

Na madrugada desta quarta-feira (2) a PM foi acionada, via Ciodes, por uma funcionária do hospital que atendeu o policial militar e informou que, descontente, aparentando estado depressivo, efetuou disparos de arma de fogo dentro do local, e que funcionários estariam trancados em um cômodo. A CIMEsp foi acionada e as imediações foram isoladas.

No local, o PM entregou o armamento por conta própria e foi constatado dois disparados realizados. Ele foi medicado e após transferido para o Hospital HPM.

Os fatos, como de praxe, serão apurados pela Corregedoria.