13 de agosto de 2020
Campo Grande 34º 21º

ACORDO

Prefeitura da Capital quitará R$ 9,5 milhões em dívidas com a Santa Casa

Santa Casa deverá priorizar o pagamento de recursos humanos em detrimento de fornecedores

Semana terminando e Campo Grande, em Mato Grosso do Sul pode comemorar ações positivas por parte do legislativo e executivo municipal. A promotora da Saúde Pública, Filomena Fluminhan e representantes da diretoria da Santa Casa de Campo Grande, da Secretaria Municipal de Saúde e de órgãos da classe médica anunciaram nesta 6ª-feira (10.julho), que a Prefeitura Municipal de Campo Grande, confirmou que vai repassar R$ 9,5 milhões à Santa Casa para abatimento de dívidas e pagamento de funcionários. O repasse deve quitar as dívidas do executivo com o hospital.

Segundo o vereador Dr. Lívio (PSDB), que é presidente das Comissões de Saúde e de Enfrentamento à Covid-19, ficou acordado também que a Santa Casa vai priorizar o pagamento de recursos humanos em detrimento de fornecedores. E a direção do hospital deverá apresentar, minimamente, um plano de saneamento de seu déficit que vem acontecendo mês a mês.

Vereador  Dr. Lívio (PSDB). Foto: Reprodução

A 1º boa notícia aos profissionais de Saúde da linha de frente da Covis-19, já veio ontem, 5ª-feira (9.julho), quando foi aprovado, em segunda votação, do Projeto de Lei 9.804/20, do qual Dr. Lívio é um dos coautores, que dispõe sobre o adicional de insalubridade para os trabalhadores que atuam na linha de frente contra o coronavírus.

“Em nome dos 638 profissionais de saúde que, até o boletim dessa quarta-feira (8) se encontram na linha de frente e estão contaminados com a Covid-19, entendendo a necessidade neste momento, meu voto é sim pelo projeto”, disse o médico e vereador que solicitou ao autor do projeto, vereador Dr. Cury, para assinar o projeto conjuntamente.

A proposta prevê o pagamento de insalubridade no grau máximo, enquanto perdurar o período de emergência da saúde pública, de 40%, calculado sobre o valor do salário do trabalhador.

O projeto segue agora para sanção do Prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad (PSD)

*O MS Notícias ERROU, ao reportar anteriormente o valor de R$ 95 mi (erroneamente), quando o valor repassado é de R$ R$ 9,5 milhões. Pelo erro, pedimos desculpas!