26 de fevereiro de 2021
Campo Grande 34º 22º

Vespasiano Martins

Vereador cobra prefeitura remoção de escombros de antiga favela

Em julho de 2015 e fevereiro deste ano, o vereador Eduardo Romero (Rede Sustentabilidade) solicitou ao poder público municipal, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seintrha), a remoção de escombros dos barracos que foram demolidos com a transferência de famílias que moravam em uma favela, na Rua Mamanguape, Vila Santo Eugênio. Depois de um ano do pedido, os serviços ainda não foram realizados.

Quinze famílias moravam na área e foram transferidas para o Residencial José Macksoud, em setembro de 2014, como parte das ações da obra do Complexo Bálsamo. No local ficaram ruínas dos antigos barracos e muito lixo. Uma das moradoras próximas à antiga favela procurou o gabinete do vereador Eduardo Romero para que o mesmo intermediasse a solicitação do serviço de remoção à prefeitura, mas nada foi feito por parte do poder público, que é quem tem a função de executar este tipo de trabalho.

Em julho do ano passado o gabinete do vereador encaminhou um ofício para a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seintrha) solicitando a remoção de todo material (demolição do que sobrou das casas de alvenaria, dos barracos, coleta de entulhos e lixo e remoção do mato). Em fevereiro deste ano o parlamentar reencaminhou o pedido, ainda por fazer.

Foto: Divulgação/Assessoria

Pâmela Ingrid, que mora nas proximidades da área que abrigava a antiga favela afirma que têm medo, principalmente à noite e também porque o local se tornou criadouro de mosquitos transmissores de doença, ratos, baratas, escorpiões e um lixão a céu aberto, onde moradores da região estão aproveitando para jogar mais detritos.

‘Uma área destas é um facilitador de problemas, tanto de segurança pública quanto de saúde. A prefeitura precisa, por meio de suas secretarias e fundações iniciar trabalhos e finalizá-los. A área é um exemplo de serviço feito pela metade’, destaca Eduardo Romero.