22 de outubro de 2021
Campo Grande 32º 17º

Sebrae e UEMS assinam acordo para disseminar empreendedorismo na universidade

A- A+

A iniciativa inclui suporte técnico da instituição de apoio aos pequenos negócios para capacitar 60 professores, que transmitirão conhecimento a mais de 1.500 acadêmicos de 15 municípios em que a universidade está presente (Amambai, Aquidauana, Campo Grande, Cassilândia, Coxim, Dourados, Glória de Dourados, Ivinhema, Jardim, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba e Ponta Porã).

Para o reitor da UEMS, Fábio Edir, a adesão vai além da informação em sala de aula. “Queremos disseminar a mentalidade empreendedora no dia a dia, permitindo que esse conhecimento seja utilizado não só durante a formação profissional, mas que molde cidadãos que façam a diferença”. 

Além de uma disciplina específica de empreendedorismo a ser ofertada na estrutura curricular, serão realizadas palestras sobre a temática, pesquisa do Perfil do Empreendedor Universitário e Feiras de Inovação; bem como o incentivo à criação de empresas juniores e ao desenvolvimento de empreendimentos nas Incubadoras Fênix e Elos, da universidade. Também será estimulada a participação de alunos no Desafio Universitário Empreendedor, competição de empreendedorismo do Sebrae em todo o Brasil.

Este é o segundo convênio assinado pelo Sebrae/MS com uma instituição de ensino no estado. Desde 2014 a parceria com a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) já atendeu a mais de mil estudantes e 20 professores com ações de fomento à cultura empreendedora dentro do ambiente acadêmico.

De acordo com Tito Estanqueiro, diretor de operações do Sebrae em MS, é fundamental que os estudantes, inclusive do ensino de base, tenham noções de gestão e não somente da parte técnica das profissões que elegeram; além de entenderem o cenário econômico, político, ambiental e social em que vivem – fatores que também impactam no dia a dia de uma empresa.

“É nossa missão disseminar o empreendedorismo. Plantamos uma semente para gerar frutos no futuro, fazendo com que estes acadêmicos, que terão o poder de decisão em suas mãos, ofereçam à sociedade novas formas de pensar”, destaca.