25 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

EDUCAÇÃO

SED/MS e FERTEL firmam convênio para transmissão de aulas na TVE

TVE Cultura e TV MS ( Rede Record) são as únicas emissoras de canal aberto autorizadas a transmitir aulas da educação infantil e ensinos fundamental e médio no Estado

Acordo de cooperação assinado no dia   pelo secretário de Educação em exercício, Edio  Antônio Resende de Castro, e o diretor-presidente da Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa (Fertel), jornalista Bosco Martins, assegura a ampliação do acesso dos alunos ao conteúdo da educação básica por meio da TV digital. O extrato do Termo de Acordo de Cooperação, amparado pela Lei Federal n° 8.666/1993, foi publicado na edição da última  quarta-feira (27/5) do Diário Oficial do Estado. A transmissão de conteúdos produzidos pela Secretaria de Estado de Educação será feita até 31 de dezembro deste ano, por meio da programação da TVE Cultura, que vai disponibilizar 2 canais  digitais do  governo  para transmissão: 4.2, 4.3.
 A programação normal da emissora segue sendo transmitida no canal 4.1, segundo a Fertel. 

De acordo com a Secretaria de Educação, a transmissão de vídeo-aulas (em parceria com a TV MS, afiliada da Rede Record), vai levar conteúdo que seria ensinado nas salas de aula presencialmente e foi interrompido por conta da pandemia de covid-19. 
Além das vídeo-aulas por meio da televisão, o conteúdo será disponibilizado no canal da Secretaria de Educação no Youtube para o acesso “on demmand”, e as aulas remotas, com atividades online. 

"O conteúdo televisionado é um reforço para a educação e auxilia principalmente os alunos que não têm acesso à internet. Atividades e videoaulas já são disponibilizadas em plataformas na internet, mas estudantes que não têm acesso à rede em casa poderiam ser prejudicados", destaca o secretário em exercício de Educação, Edio Antônio Resende de Castro.

A ativação de multicanal não poderia ocorrer em momento tão necessário, já que a multiprogramação foi requerida em 2018 e por causa da pandemia a concessão de multicanais, que antes era restrita às emissoras públicas  e institucionais, foi autorizada para todos os canais comerciais abertos e públicos, em decreto do presidente Jair Bolsonaro, publicado no dia 4 de abril.

De acordo com a Secretaria com a Secretaria  de Educação, num  primeiro momento, o sinal da transmissão será disponibilizado através  da TVE  para os municípios, de Rio Verde, Miranda, Maracaju, Fátima do Sul, Pedro Gomes, Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste e através  da Rede  MS para  Campo Grande, Dourados, (com as aulas remotas reprizadas, na TVE)  Bonito, Ponta Porã, 
Ladário, e Três  Lagoas.

 Somados, eles possuem quase 200  mil estudantes matriculados na Rede Estadual. Ao todo, mais de 360 mil alunos de todas as redes (pública e privada) serão beneficiados com a veiculação das aulas, que seguirão norteadas pelo Currículo de Mato Grosso do Sul, construído em regime de colaboração desde 2018.

No convênio assinado pela Secretaria de Educação do Estado e a  Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas  de Rádio e TV Educativa  (Fertel) e  em parceria  com o Estado  e com a Rede  MS,  ampliará o acesso dos alunos da educação básica da rede pública de ensino. Estudantes da rede estadual e escolas municipais de Campo Grande, Dourados terão  um reprise  das aulas  produzidas  pela Rede MS de Integração.  Outros 11 municípios entrarão  brevemente  no  ar através  da TVE Cultura MS.

 A programação normal da emissora, quarta  colocada na Capital, a frente  da Band/TVI,  com o melhor  da programação local  e infantil,    seguirá  sendo exibida  normalmente no canal 4.1.

Mas nos outros  2 canais (4.2, 4.3, ) os estudantes da educação infantil e ensinos fundamental e médio poderão seguir estudos sem sair de casa graças à multiprogramação da emissora  pública do Estado, que tem homologados 20 canais digitais  certificados pela Anatel e prontos para ir ao ar. 
A ativação de multicanal não poderia ocorrer em momento tão necessário, pois  a multiprogramação foi requerida em 2018 e por causa da pandemia a concessão de multicanais, que antes era restrita às emissoras públicas  e institucionais, foi autorizada para todos os canais comerciais abertos, em decreto do presidente Jair Bolsonaro, publicado no dia 4 de abril.

COMO ASSISTIR EM MS 

A TVE  Cultura MS  foi a primeira  a entrar no ar e ja exibe a multiprogramação  com aulas  da TV Cultura/SP, desde do dia 6 de maio.  
Os testes foram finalizados no início  do mês e  o novo sinal pode ser captado por televisores preparados para o sistema digital e para ENTRAR  o novo  canal, o telespectador  deve, através  do seu controle, pedir buscar  de canais, sintonizando  novamente  a sua TV.
A TV deverá  ser captada   pelo sistema de sintonia automática (comumente encontrado nos menus “Canal” ou “Sinal”).

“Após o processo, a TVE Cultura aparecerá no canal 4.2, de acordo com o aparelho. Na sintonia manual, ela está no UHF 42, com frequência de 64.143 Khz”, explicou o setor  de engenharia  da emissora.

Com a ativação do novo  canal,  a TVE Cultura passa a transmitir em HD, em 1.080i (1.920 x 1.080 entrelaçados) e formato de tela 16:9. “A transmissão também pode ser recebida pelo sistema 1seg, usado por smartphones, centrais multimídia e aparelhos GPS aptos para receber o sinal de televisão”.

PARABÓLICA 

Além do canal  aberto, a TVE Cultura poderá  ser acessada  pelo satélite: o StarOne C2, usado por empresas como a Rede Globo e a EBC (Empresa Brasileira de Comunicação) e que alcança 24 milhões de lares (ou cerca de 70 milhões de pessoas).

Para sintonizar a emissora, o telespectador deverá buscar a posição 75º oeste e o transponder 3B (polarização vertical).

Para sintonizar a emissora em HD deve-se ajustar o receptor à frequência 3.696,5 MHz, em modulação 8PSK, FEC 2/3 e taxa de símbolo 7.321,00 KSPS. 

O aparelho deve ter condições de receber os padrões de transmissão DVB-S2 e MPEG-4.

Já a recepção em SD será feita na frequência 3.832,38 MHz, modulação KPSK e FEC 3/4, com taxa de símbolo de 3.255,3 KSPS. 
O receptor precisam ser preparado para receber em DVB-S.

As parabólicas devem ter raio mínimo de 1,80 metro para a boa recepção do sinal da TVE Cultura.