06 de maro de 2021
Campo Grande 28º 19º

Judiciário

Senadores são pressionados a votar reajustes salariais dos servidores

Senadores da bancada de Mato Grosso do Sul e de outros Estados, continuam sendo pressionados por lideranças sindicais para aprovação dos projetos que reajustam os salários dos servidores do MPU (PLC 26/2016) e do Judiciário Federal (PLC 29/2016). Na semana passada eles foram aprovados na Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJ) e agora as lideranças dos servidores querem a aprovação dos projetos no plenário do Senado.

“Estamos empenhados nesse trabalho em Brasília, de sensibilizar nossos senadores a votarem favoráveis a esses reajustes, uma vez que estamos há mais de 9 anos sem aumento salarial”, afirmou Antônio César Medina, coordenador do Sindjufe/MS (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul).

Ao lado de outros coordenadores do Sindjufe/MS, como Gabriel Angeramis Vargas, Eliezer Inácio de Oliveira, José Carlos de Oliveira, José Ailton Pinto, César Medina tem participado ativamente de um forte esquema de trabalho em Brasília, junto aos parlamentares, procurando conscientizá-los da importância e necessidade da aprovação desses projetos.

Depois da aprovação na CCJ, os projetos seguiram para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), presidida pela senadora Gleisi Hoffman (PT/PR). Enquanto isso, no plenário, continua a corrida pela coleta de assinaturas para a apresentação do requerimento de urgência que, aprovado, levará os projetos diretamente à apreciação do plenário.

Na semana passada, em reunião com a presença da Fenajufe, Sindjufe/MS,  Sinasempu, Amatra e outras categorias, Eunício Oliveira (PMDB/CE), líder do PMDB no Senado, comprometeu-se  a orientar a bancada governista na CAE a aprovar a urgência. O senador não quis, no entanto, assinar o requerimento de urgência que levaria os projetos ao plenário agora, para, segundo ele, não atropelar a Comissão.

Temer aprova os reajustes 

Questionado quanto a alguma eventualidade que impeça sessão da CAE de acontecer nesta terça-feira (21/6), Oliveira novamente assumiu compromisso com a categoria. Dessa vez, o de votar o Requerimento de Urgência direto no plenário. Segundo ele, em reunião acontecida na madrugada com ele e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), o presidente interino, Michel Temer, se comprometeu, a aprovar o reajuste dos servidores.

Também questionada, Gleisi Hoffman,  presidente da CAE, comprometeu-se em conversar com o presidente da Comissão Especial do Impeachment, Raimundo Lira (PMDB/PB). O objetivo, segundo Hoffman, é garantir a sessão da CAE na parte da manhã (10 horas), deixando para a tarde, reunião da Comissão do Impeachment. Lira é vice-presidente da CAE.

Os dirigentes sindicais conseguiram conversar também com o presidente do Senado, Renan Calheiros. Mais solícito que no dia anterior, o senador, quando informado sobre a reunião com Eunício Oliveira e da necessidade de se votar os projetos nesta próxima semana, informou que tão logo o requerimento de urgência seja apresentado, ele o colocará em votação.