27 de fevereiro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Trabalhadores dos Correios de Ponta Porã fazem paralisação contra assédio moral

Funcionários do Centro de Distribuição Domiciliária dos Correios em Ponta Porã, cidade a 323 km de Campo Grande, fizeram nesta quarta-feira (7) uma paralisação de 24 horas em protesto contra assédio.

 De acordo com (Sintect-MS) Sindicato dos Trabalhadores nos Correios de Mato Grosso do Sul, os servidores reclamam da sobrecarga de trabalho, efetivo de funcionários insuficiente e forma de tratamento abusiva.

Elaine Oliveira, presidente do Sintect-MS, afirmou, em nota distribuída pela assessoria, que a paralisação se deve à intolerância da chefia local em negociar as demandas dos funcionários de Ponta Porã por melhores condições de trabalho e pedem mudança na forma de tratamento.

“Os carteiros estão revoltados com a forma como são tratados e o sindicato já acionou a assessoria jurídica para elaborar a ação judicial por assédio moral”, afirma Elaine. Segundo ela, a paralisação será de 24 horas, “Infelizmente, a situação chegou num ponto insuportável para os trabalhadores”.

Assédio Moral é Crime

O artigo 136-A do novo Código Penal Brasileiro institui que assédio moral no trabalho é crime. Esse artigo prevê que desqualificar reiteradamente por meio de palavras, gestos ou atitudes a auto-estima, a segurança ou a imagem do servidor público ou empregado em razão de vínculo hierárquico funcional ou laboral pode causar a detenção de três meses a um ano de multa.

O que é Assédio Moral

Os termos assédio psicológico, assédio moral, assédio no local de trabalho ou violência no local de trabalho são aplicados ao ambiente de trabalho para indicar o comportamento repetitivo e prolongado, normalmente humilhante ou ameaçador, efetivado por um chefe em relação a um trabalhador/ trabalhadora ou grupo de trabalhadores/ trabalhadoras. Nesses casos, os subordinados se transformam em alvos ou vítimas, o que acarreta riscos para sua saúde física e mental. O assédio ocorre frequentemente em relações autoritárias e assimétricas, onde os alvos ou vítimas podem experimentar dificuldades em defender-se, sendo comumente forçados a desistir do trabalho, do cargo ou mesmo do emprego.