02 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Ivinhema

Trabalho desenvolvido em presídio de Ivinhema reflete em benefícios para crianças carentes da região

Mais recente presídio a ter a gestão assumida pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), o Estabelecimento Penal Masculino de Regime Fechado de Ivinhema (EPMRFI) já desenvolve projetos que refletem em benefícios não só para a segurança da população do município, como também em ações sociais de atenção a pessoas carentes.

Sob a administração da Agepen desde julho do ano passado, a unidade prisional possui algumas frentes de ocupação laboral para os internos, entre elas, a atividade de horticultura, que já possibilitou a doação de legumes a duas instituições assistenciais de Ivinhema, voltadas ao atendimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Berinjelas e quiabos da primeira doação.

“Nosso intuito é consolidar parceria da Agepen com a sociedade local, visando proporcionar oportunidade de trabalho ao interno e uma alternativa para a alimentação destas crianças”, destaca o diretor do EPMRFI, agente penitenciário Leôncio Elídio dos Santos Junior, que assumiu a função há cerca de um mês.

As primeiras doações beneficiaram o “Cantinho Bem-me-quer” e o Centro de Apoio e Reintegração da Criança e do Adolescente “Pe. Alberto Wiese” (Carca), com a entrega de quiabos e berinjelas, que já estavam em período de colheita e em quantidade suficiente para atender às duas instituições.

Com mestrado na área de desenvolvimento regional, o agente penitenciário destaca que está realizando tratativas com a Prefeitura e segmentos da sociedade do município no sentido de utilização da mão de obra prisional. “Estamos buscando parcerias para que a Agepen desenvolva trabalhos locais, aproveitando o espaço físico e a utilização de mão de obra, com objetivo da ressocialização para os internos, bem como em prol da qualidade no ambiente de trabalho da nossa equipe de servidores”, afirma.

O Cantinho “Bem-me-quer” e o Centro de Apoio e Reintegração da Criança e do Adolescente “Pe. Alberto Wiese” foram os primeiros beneficiados.

De acordo com o presidente da Associação “Cantinho Bem-me-quer”, Leandro de Oliveira Silva, a instituição funciona como casa abrigo e atende crianças e adolescentes, de 0 a 18 anos, da região. Com capacidade para 20 jovens, atualmente quatro vivem no local, onde são assistidos com ações educacionais, de saúde, fornecida alimentação, etc. “Essa doação da Agepen é de grande importância para a casa de acolhimento, pois são alimentos saudáveis e nutritivos”, agradece o presidente.

Conforme o diretor da unidade prisional de Ivinhema, seis internos trabalham na horta e recebem remição de um dia na pena a cada três de serviços prestados. “Nossa horta está passando por um processo de renovação e ampliação, para possibilitar maior ocupação prisional na atividade”, reforça Elídio.

Segundo ele, nesse processo de ampliação, a atividade de horticultura contará com uma assistência técnica de um engenheiro agrônomo voluntário, oferecida por meio de parceria com a Igreja Batista. “A intenção é customizar, para que sejam definidos os tamanhos dos canteiros, economia de água no sistema de irrigação, evitar desperdício de adubo etc.”, explica o diretor. “Desta forma poderemos ter uma horta mais completa, com mais internos trabalhando e poderemos ajudar mais instituições”, finaliza.