14 de maio de 2021
Campo Grande 26º 17º

Dia Mundial Sem Tabaco  

Unidades de saúde promovem ações em alusão ao Dia Mundial Sem Tabaco  

A- A+

Em alusão ao Dia Mundial Sem Tabaco, lembrado na próxima sexta-feira (31), as unidades da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande realizaram neste mês de maio diversas ações para alertar a população quanto aos malefícios do fumo.  Os profissionais da UBSF Maria Aparecida Pedrossian promoveram uma palestra com estudantes da Escola Estadual Dolor Ferreira de Andrade no último dia 23 e no próximo dia 6 retornam ao colégio para orientar outras turmas.

Cerca de 80 alunos participaram da atividade, onde receberam orientações quanto à quantidade de substâncias tóxicas encontradas no tabaco, além do malefício do narguilé, que Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma sessão com duração de 20 a 80 minutos pode corresponder a exposição à fumaça de 100 a 200 cigarros.

Além dos malefícios causados pela fumaça, o compartilhamento do narguilé com outros usuários pode expor o fumante a alguns riscos particulares, como o de contrair doenças infecciosas como herpes, hepatites virais e tuberculose.

Especialmente usado por jovens, o narguilé tem uma característica peculiar que incentiva o aspecto da socialização. Um único cachimbo pode ser usado por várias pessoas simultaneamente, reforçando o uso em grandes grupos.

O tabaco do narguilé é regularmente adocicado e aromatizado e o cheiro e gosto doces da fumaça podem explicar porque algumas pessoas, em especial os jovens, que de outra forma não fumariam cigarro, começam a usar o cachimbo. Adolescentes fumantes têm alta probabilidade de se tornarem adultos fumantes, sendo a experimentação o primeiro passo para uma futura adesão ao consumo regular dos produtos de tabaco e de outras drogas. Quanto mais cedo se estabelece a dependência do tabaco, maior o risco de câncer e de outras doenças crônicas não transmissíveis, morte prematura na meia idade ou na idade madura.

Efeitos das toxinas no organismo

A dependência ocorre pela presença da nicotina nos produtos à base de tabaco. A dependência obriga os fumantes a inalarem mais de 4.720 substâncias tóxicas, como: monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, além de 43 substâncias cancerígenas, sendo as principais: arsênio, níquel, benzopireno, cádmio, chumbo, resíduos de agrotóxicos e substâncias radioativas.

Algumas dessas substâncias tóxicas também são conhecidas como potenciais irritantes, pois produzem irritação nos olhos, no nariz e na garganta, além de paralisia nos cílios dos brônquios. Desse modo, o tabagismo é causa de aproximadamente 50 doenças, muitas delas incapacitantes e fatais, como câncer, doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas.

A nicotina presente no cigarro, por exemplo, ao ser inalada produz alterações no sistema nervoso central, modificando assim o estado emocional e comportamental dos indivíduos, da mesma forma como ocorre com a cocaína, heroína e álcool. Depois que a nicotina atinge o cérebro, entre 7 a 19 segundos, libera várias substâncias (neurotransmissores) que são responsáveis por estimular a sensação de prazer que o fumante tem ao fumar. Com a inalação contínua da nicotina, o cérebro se adapta e passa a precisar de doses cada vez maiores para manter o mesmo nível de satisfação que tinha no início. Esse efeito é chamado de “tolerância à droga”. Com o passar do tempo, o fumante passa a ter necessidade de consumir cada vez mais cigarros. Com a dependência, cresce também o risco de se contrair doenças crônicas não transmissíveis, que podem levar à invalidez e à morte.

Tratamento
A Sesau oferece o tratamento para pacientes que desejam largar o vício da nicotina, por meio de acompanhamento com equipe multidisciplinar de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, farmacêuticos e outros.

O dependente pode procurar a unidade básica de saúde mais próxima da residência e ele será encaminhado para tratamento em um dos Grupos de Tabagismo. Inicialmente, o paciente passa por uma avaliação para considerar se ele é um fumante leve, moderado ou pesado.

Após a avaliação, o tratamento consiste com consultas com consultas individuais ou sessões de grupo de apoio, nas quais o paciente fumante entende o papel do cigarro na sua vida, recebe orientações de como deixar de fumar, como resistir à vontade de fumar, e principalmente, como viver sem cigarro.

Durante as quatro primeiras reuniões de grupo (ou consultas individuais) são fornecidos manuais de apoio com informações sobre cada uma das sessões estruturadas. Também são fornecidos medicamentos gratuitos com o objetivo de reduzir os sintomas da síndrome de abstinência à nicotina, mas não são necessariamente o fator principal para o abandono do vício.

Ações programadas:
Na quinta-feira (30), as UBSF Nova Lima, Paradiso e Vila Carvalho promovem ações no território de atuação. Na sexta-feira (31), as UBSFs Corumbá, Mata do Jacinto, Seminário, José Abrão, Vida Nova e Carlota realizam atividades com a população atendida.