04 de maro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Jateí

Uniformização de detentas garante mais igualdade, segurança e salubridade no presídio de Jateí

 Mais um presídio de Mato Grosso do Sul agora possui uniformização na vestimenta de internas. Desde o início deste mês, as reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino Luiz Pereira da Silva, em Jateí (EPJateí), estão usando roupas padronizadas. A medida, além de promover a igualdade entre as custodiadas, possibilitará uma acentuada melhoria na segurança.

De acordo com a diretora da unidade prisional, Solange Pereira da Silva, a implantação do uniforme garante também maior higienização e organização das celas, o que reflete diretamente na salubridade dos espaços, já que evita o acúmulo de roupas: “Melhora não só para o ambiente das internas, como também para equipe de segurança na realização das vistorias”, enfatiza.

A confecção dos uniformes foi custeada com recursos do Conselho da Comunidade de Fátima do Sul, com investimento na ordem de R$ 7 mil. Com a uniformização de Jateí, todos os presídios femininos do Estado contam com a padronização da vestimenta das custodiadas. Cada uma das cerca de 70 custodiadas no local recebeu dois conjuntos, contendo camiseta e bermuda, dentro da padronização de cor e formato instituídos pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen). Ao todo, foram confeccionados 200 conjuntos.

A intenção agora, segundo a direção do EPJateí, é possibilitar a confecção de uniformes de inverno, com calças e abrigos padronizados. “Já solicitamos a parceria novamente do conselho e estamos aguardando análise e aprovação”, informa Solange.

Conforme a direção Agepen, a exemplo de Jateí, o uso de uniforme por presos já é realizado em 17 unidades prisionais do Estado e outras também já adotam camisetas padronizadas para os apenados que trabalham e precisam circular pelo presídio. A intenção é que, com o tempo, todos os estabelecimentos penais adotem o uso total do uniforme.