08 de maio de 2021
Campo Grande 26º 13º

LITORAL DE SÃO PAULO

Vídeo: Homem é levado à delegacia por vestir a manequim "Judite" e deixar na praia

Colocou roupas e chapéu, dando a impressão de que se tratava de uma mulher desrespeitando as regras de isolamento da faixa de areia. Caso ocorreu em Praia Grande (SP)

A- A+

Um homem foi levado à delegacia após vestir uma manequim que ganhou o nome de “Judite” e deixar o expositor em forma humana na praia. Ele acabou atraindo equipes da polícia ao local. A brincadeira terminou na delegacia. 

Segundo o G1, o caso aconteceu enquanto vigorava um lockdown em Praia Grande (interior de SP), que foi iniciado em 23 de março. O suspeito foi filmado levando “Judite” vestida a caráter de passeio à praia e deixou ela contemplando o mar de pé sobre a faixa de areia no Bairro Caiçara. O intuito foi ‘brincar’ com o trabalho da Guarda Civil Municipal (GCM).  

Na ocasião, estava proibido circular pelas praias de toda a Baixada Santista. A medida tem o intuito de frear infecções e mortes provocadas pela Covid-19.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento em que o manequim está na faixa de areia e uma equipe da Guarda Civil Municipal (GCM) se aproxima do boneco. O autor da brincadeira ficou perto do calçadão, registrando a cena.

VEJA A CENA ABAIXO

O delegado-titular do 1º DP da Cidade, Flávio Magário, disse que o homem, que supostamente tentou fazer uma “pegadinha” com as autoridades em plena pandemia, já foi autuado em um boletim de ocorrência sob a ocorrência de infração de medida sanitária preventiva e contravenção penal de falso alarme, ficando sujeito às penalidades da lei, que incluem detenção de um mês a um ano e multa.

“Ainda que ele não pretendesse infringir a medida imposta, mas sim ‘fazer graça", e com isso, empenhar uma viatura da GCM que está à disposição do munícipe para atender uma brincadeira, é inacreditável que em um momento de tamanha consternação pela perda de várias vidas inocentes, de pessoas aguardando a vacina, uma pessoa decida fazer piada com a vida alheia”, disse.