27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

Máscaras

Voluntários doarão 20 mil máscaras para profissionais de saúde em Dourados e região

Profissionais que atuam na “linha de frente” com a população durante a pandemia do coronavírus receberão a doação de 20 mil máscaras do tipo ‘face shields’ em todo o Mato Grosso do Sul.  A ação é da rede CoronaVidas-Hub Dourados que conta com um conjunto de voluntários e conforme a direção, as entregas dos itens terão início na próxima semana na segunda maior cidade de MS. 

Os protetores faciais, equipamentos de proteção individual, ampliam a segurança no trabalho dos profissionais de saúde e de segurança, e diante deste contexto, a rede CoronaVidas busca com as doações dos itens ajudar a conter o contágio do coronavírus. 

Todas as 79 cidades do Mato Grosso do Sul devem contar com as doações nos próximos dias. Conforme a membro da BPW e Leilodom, Ely Oliveira, que tambem faz parte da coordenação da CoronaVidas-Hub Dourados, a direção do projeto tem levantado junto as autoridades municipais as unidades de saúde e de segurança que mais precisam dos itens no momento, para posteriormente encaminhá-los. 

“O atendimento será prioritariamente para o setor de saúde, seguido dos setores de segurança, assistência social e administrativo de atendimento ao público. Destacamos que buscaremos atender a todas as unidades e instituições públicas do estado, sendo que após o atendimento dessa demanda, se houver disponibilidade, o setor privado poderá ser atendido, com prioridade para o setor da saúde”, destaca.

O número de casos de coronavírus em Dourados e em Mato Grosso do Sul tem aumentado, o que tem motivado a rede a cogitar a possibilidade de ampliar a produção das máscaras para doação, o que será avaliado. 

“É um momento de nos unirmos e fazer o que estiver ao alcance para diminuir os casos. É possível que a quantidade de protetores faciais passe de 20 mil para 30 mil, estamos avaliando com os parceiros, pois somente com esse apoio tem sido possível esse grande movimento pela sociedade” disse. 

O projeto teve início em Feira de Santana-BA, idealizado e coordenado pelos professores e pesquisadores Antônio Cordeiro (Instituto Federal da Bahia/Unopar Candeias), Fábio Barreto (IFBA) e Leandro Brito, da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), com a coordenação de comunicação da professora da Universidade Federal do Oeste da Bahia, a jornalista Fernanda Vasques Ferreira.  Posteriormente se expandiu para Bahia, Amazonas, São Paulo e Rio de Janeiro e em Dourados foi apresentado a defensora pública Mariza Ferreira que convidou a BPW-Dourados- Associação de Mulheres de Negócios e a Associação Leilodom para dar início as ações e outros parceiros foram integrados. 

O CoronaVidas agrega professores, pesquisadores de diferentes instituições de ensino públicas e privadas, em conjunto com a sociedade civil, entusiastas da tecnologia, ONGs, empresas e instituições parceiras.Participam também do projeto em Dourados a médica Cristiane Iguma da Comissão de Saúde BPW Dourados, na coordenação técnica temos a Ana Tereza Guerrero da Fiocruz-MS, Fabiano Nagamatsu da Unigran e Evandro Faleiros do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, Maria Antonia Ribeiro (Agência 2Mil Publicidade) e Irma Lupinete (Agência Paralela).

Evandro Faleiros  (IFMS), Mariza Gonçalves (Defensoria Pública), Ely Oliveira, empresária, Cristiane  Iguma (Comissão de Saúde BPW) -  Fabiano Nagamatsu (Inova Unigran) participam do CoronaVidas-Hub Dourados