20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

Bicicletada reúne centenas em homenagem a ciclista morto

A ‘bicicletada’ promovida neste domingo pela manhã na avenida Marcelino Pires, em Dourados, reuniu centenas de pessoas que compareceram ao evento para pedir mais prudência no trânsito e também para homenagear Davi Rosa da Silva, 19, que morreu no dia 31 de maio após ser atropelado na via.

O evento foi uma iniciativa de um grupo de ciclismo do qual o publicitário Marcelo Mac, 38, participa. Segundo ele, os ciclistas são praticamente “fantasmas” em um trânsito que está cada vez mais perigoso e por culpa das próprias pessoas, que provocam tragédias como foi a morte de Davi.

“Eu faço parte de grupo de ciclismo e sempre sentimos na pela as dificuldades de sermos respeitados. As pessoas ignoram a existência do ciclista, e após morte do Davi resolvemos mostrar que somos muitos e que precisamos ser respeitados, porque somos uma vida tão importante quanto a de qualquer pessoa que trafega pela cidade”, disse o publicitário.

Ainda de acordo com Mac, o movimento é para pedir respeito à vida, porque as pessoas com suas atitudes imprudentes tornam o trânsito perigoso para elas e todos ao seu redor. “Não é placa de sinalização, cone, ou qualquer outra coisa que torna o trânsito mais seguro. A segurança depende das pessoas porque não adianta nada ter placas e sinalização se ninguém respeitar”.

Os ciclistas percorreram a avenida Marcelino Pires e seguiram até o cruzamento da via com as ruas Maria da Glória e Coronel Ponciano, no ponto em que Davi foi atropelado e morto pelo estudante identificado como Aluísio Both Neto, 19, que conduzia uma caminhonete e supostamente estaria disputando um racha.

No local, foram feitas homenagens a Davi. Presente no ato, a prima do rapaz, Ana Paula Ferreira Rosa, 28, também fez coro ao discurso de apelo por mais prudência no trânsito. “É uma homenagem linda e muito importante para ver se as pessoas passem a refletir mais sobre o que estão fazendo no trânsito, e quais as consequências de suas imprudências”, disse a dona de casa, que comentou ainda o fato do acusado de ter atropelado e matado seu primo permanecer em liberdade. “Nós queremos Justiça, mas entregamos na mão de Deus”.

Dourados News