16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

Água Clara

Com superlotação, presos fazem rebelião para pedir transferências

 

Na tarde da última quinta-feira (07), 24 presos custodiados na delegacia de Água Clara, distante 198 quilômetros de Campo Grande, fizeram uma rebelião para pedir agilidade na transferência deles para cadeias públicas ou penitenciárias.  O prédio tem duas celas com capacidade para abrigar oito pessoas, porém constantemente está superlotado.

Durante a rebelião, os detentos batiam nas grades, tentavam quebrar as paredes, ofendiam os policias com palavras de baixo calão e ameaçavam incendiar colchões e roupas caso o Ministério Público não os atendesse.

“Historicamente, as medidas são adotadas para sanar o problema no momento, mas não há um planejamento, nem investimentos nos lugares certos. A rebelião demonstrou que o problema existe e que, até mesmo os presos, estão cansados desta situação”, declarou o presidente do Sinpol-MS, Giancarlo Miranda.

Segundo Giancarlo, o  Sinpol-MS denunciou diversas vezes a situação as autoridades competentes que, mas o problema volta a se repetir devido a falta de planejamento e investimento em Segurança Pública.

 “No momento do fato estavam na delegacia apenas um investigador e o delegado, foi necessário chamar os policiais civis que estavam de folga para dar suporte”, destacou o sindicalista. Um representante do Ministério Público esteve no local e após conseguir a transferências de cinco pessoas para a penitenciária de Três Lagoas, a situação foi apaziguada.

Nesta sexta-feira (08), 19 presos ainda estão custodiados na delegacia de Água Clara, um deles é um adolescente que está em uma cela separado dos adultos, porém  ele deve ser liberado por falta de vaga em Unidade Educacional de Internação (UNEI). Até o dia 11 de Abril, a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (AGEPEN) deve apresentar um estudo sobre o planejamento da absorção gradual dos detentos.