25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 22º

Comissão discute solução para pequenos produtores de frango

A Prefeitura de Dourados faz parte da comissão criada segunda-feira (31) para levantar a situação da avicultura na Grande Dourados. A comissão tem 30 dias para apurar a quantidade de aviários existentes, funcionando ou fechados e fazer ainda o levantamento econômico sobre a realidade do setor, incluindo custo de produção e remuneração pela indústria.

A comissão foi formada durante reunião na Semafes (Secretaria de Agricultura Familiar e Economia Solidária), com a participação do delegado da DFA (Delegacia federal da Agricultura) em Mato Grosso do Sul, João Grandão e de representantes de Dourados, Laguna Carapã, Caarapó, Itaporã, Fátima do Sul, Naviraí, Glória de Dourados, Rio Brilhante e Campo Grande.

O novo modelo de produção adotado pela grande indústria preocupa os pequenos produtores. Segundo produtores presentes na reunião, a indústria está obrigando os criadores a adotar o modelo “Dark House (casa escura)”, com barracões automatizados de 32 mil frangos cada. Os anteriores eram de 14 mil aves. Cada complexo, formado por quatro módulos, custa R$ 2,7 milhões.

“Os pequenos produtores, que acabaram de quitar financiamentos feitos há 15 anos, não querem se endividar em bancos para construir esses mega complexos. Esse modelo de produção não contempla mais a agricultura familiar. Os produtores querem mudar o processo e passar a abater a produção eles mesmos”, explica Landmark Ferreira Rios, secretário de Agricultura Familiar de Dourados.

Os estudos da comissão são para encontrar uma solução viável economicamente para o problema. “Sabemos que muitos barracões já estão fechados e precisam ser aproveitados para gerar produção, emprego e riqueza na região”, lembra Landmark. “E isso não vai afetar a grande indústria, que pelo novo modelo precisará de bem menos produtores para o seu abastecimento. A indústria ficará só com os grandes; aqueles que têm condições de contrair um financiamento dessa natureza”.

A proposta para encontrar um caminho para que os pequenos continuem a produzir surgiu a partir de discussões na Câmara de Vereadores de Dourados, pela Comissão de Agricultura, formada pelos vereadores Alberto Alves dos Santos, o Bebeto, Silas Zanata e Madson Valente. “Eles nos pediram ajuda sobre o caso e organizamos a reunião. A partir de um trabalho coletivo, vamos encontrar uma solução para o caso”, diz Landmark.

Em Dourados já existe uma associação de avicultores, chamada Avemasul (Associação de Avicultores Integrados). Seus dirigentes revelaram na reunião estarem muito preocupados com o cenário atual. Uma das soluções que começa a ser discutida é a da criação de cooperativas para a produção e abate coletivos, como existe muito no Paraná.

Dourados News