20 de junho de 2021
Campo Grande 25º 13º

Dourados

Deteriorada biblioteca pública fecha e não tem previsão para reabertura

A- A+

A Biblioteca Municipal Vicente de Carvalho localizada na Praça Antônio Alves Duarte, próximo ao terminal de Transbordo, está totalmente deteriorada e fechará as portas. No local, a administração municipal pretende reformar, porém, não há prazo para que isso aconteça.

Com um acervo de aproximadamente 5 mil exemplares, a biblioteca está em péssimas condições de uso com pisos quebrados, portas e janelas danificadas, sem água para consumo no local e no verão é quente e abafado por não haver sistema de ar condicionado e poucos ventiladores.

O Dourados News esteve visitando o local na manhã desta quarta-feira (29), e constatou que todos os livros já estão armazenados em caixas. A reportagem entrou em contato com a bibliotecária Rose Linston, que é responsável por todas as bibliotecas do município, para obter informações sobre o local, que confirmou a informação.

“Há mais de 38 anos que o local não recebe reforma e o espaço pede isso. Contamos com um grande acervo, com obras raras e que merecem ser cuidadas. Elas serão destinadas para um local seguro, até que possam retornar para a biblioteca", afirma.

Segundo ela, ainda não existe um local específico para que os livros sejam levados e os mesmos podem acabar em depósitos até que seja feito o processo licitatório. "Ainda estamos analisando qual será o melhor lugar, a principio podem ir para um depósito ou armazenados na secretária de educação, mas nada definido ainda”, conta a bibliotecária.

Dourados conta com quatro bibliotecas públicas, sendo elas a Vicente de Carvalho, Chaester Bonfim localizada na praça do Cinquentenário, Bibliotecas do Sesi no Jardim Água Boa e Sesi da Vila Cachoeirinha.

De acordo com Rose, há aproximadamente dois anos que a biblioteca não recebe muitos visitantes. “São poucas as visitas no local, os que procuram a biblioteca são pessoas que estudam para concurso ou leitura de jornal. Algumas escolas realizam visitas, mas tudo é agendado e programado com antecedência”, comenta a funcionária pública.

Questionada sobre quando irá acontecer a reforma e se existe a possibilidade de aumentar o espaço, a bibliotecária disse tudo está sendo analisado.

“Tem previsão de que em julho abra o processo licitatório, mas nada certo ainda. Já realizamos várias visitas com a presença de uma arquiteta, para analisarmos se tem como aumentar ou não o espaço, mas para isso precisamos ver como está às condições do prédio e dos móveis também, pois as prateleiras são de madeira e pode haver cupim, pode precisar ser restauras, é um processo longo”, disse.

Ela contou ainda que muitas obras serão restauradas, porém não tem previsão de quando irá acontecer.