23 de outubro de 2020
Campo Grande 33º 22º

PRECÁRIO

Dois bancos em Sidrolândia têm 10 funcionários para atender 35 mil clientes

População fica em filas quilométricas para conseguir atendimento. Prédio do Banco do Brasil não tem acessibilidade ao piso superior

A estrutura de atendimento das instituições bancárias em Sidrolândia, cidade no interior de Mato Grosso do Sul é a mesma que havia há 20 anos, quando a cidade tinha menos da metade da população atual. Senso do IBGE de 2011 indicava que haviam 43.563 pessoas no município, hoje são quase 60 mil pessoas. Apesar disso, a estrutura de atendimento nos bancos é para atender com qualidade, menos de 10 mil pessoas. A informação é do site Região News. 

De acordo com o site, o Banco do Brasil e o Bradesco, agências que juntas somam 35 mil contas no município, tem apenas 10 funcionários para o atendimento presencial dos clientes, muitos deles, idosos, indígenas, agricultores familiares, que não tem familiaridade com as ferramentas digitais para fazer as transações online. Isso é, de nada andam adiantando as tecnologias naquele município. 

O site caracteriza como precária a situação do atendimento dos bancos em Sidrolândia. A Câmara Municipal do município realizou debate com a participação dos gerentes dos dois maiores bancos e do superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão na semana passada.  

A iniciativa foi proposta pelo vereador Kennedi Forgiarini, que encampou a discussão para revisar a lei municipal e das dificuldades que a clientela vem encontrando para ser atendida na rede bancária.

Agência do Banco Bradesco do município estão nas mesmas situações. Os bancos extrapolam e muito o atendimento previsto em lei de até em 15 minutos. 

O site revelou que os moradores são obrigados a ficar em filas quilométricas, por várias horas para conseguirem atendimento.  

O superintendente do Procon, informou que vai apertar a fiscalização e que a entidade não vai negociar fiscalização. "Instituições financeiras tem que cumprir a Lei. Lei de 15 minutos o atendimento tem que ser realizado. Não consigo admitir que empresas que faturam bilhões por ano não cumpram uma regra tão simples", cobrou.  

O vereador do PP,  Kennedi Forgiarini, foi incisivo ao cobrar as empresas bancárias. "Eles tem quadro de funcionário, que tinham há 20 anos atrás. Quando Sidrolândia tinha 25 mil habitantes", disse.  

VEJA AQUI A REPORTAGEM DO REGIÃO NEWS.