24 de junho de 2021
Campo Grande 31º 19º

Em Dourados, pai apela por ajuda para tratar filho com ossos expostos

A- A+

O desespero de um pai levou com que ele pedisse para gravar um vídeo para mostrar as condições de saúde que enfrenta o seu filho, um jovem cadeirante de 21 anos com escaras profundas na região das coxas e nádegas e que deixam os ossos expostos.

Pedreiro e divorciado, Aparecido Galan tem como rotina cuidar do caçula Sidnei. Ele tem mais um filho, Claudinei. A família mora no bairro João Paulo II e vem sendo tratada com o "jogo de empurra" da saúde douradense. "Vamos no posto e nos mandam para a UPA e de lá nos encaminham para o Hospital da Vida", conta Aparecido.

Temendo a morte do filho, o pai decidiu postar o vídeo nas redes sociais. "Preciso de ajuda, quero tratamento para Sidnei. Não aguento mais ver ele se definhando em cima da cama", apela o pai, que já procurou o Ministério Público Estadual e aguarda por uma posição da justiça.

Segundo o site Dourados Agora, Sidnei tornou-se cadeirante há pouco mais de três anos. Há quase um ano e meio ele passou por cirurgia no fêmur da perna direita. O osso, segundo o pai, está quebrado, e agora o fêmur da outra perna está atingida e exposta.

"Os médicos dizem que está apodrecendo a cada dia e que nada podem fazer. Se quer olham para ferida e mandam meu filho para casa", descreve a situação que enfrenta.

Além do Hospital da Vida, Aparecido já levou o filho em consulta no Hospital Universitário e lá também ouviu que praticamente nada pode ser feito. "Fica desse jeito, dizem que nada podem fazer", lamenta. Segundo ele, nenhum médico, até agora, pediu encaminhamento para tratar Sidnei em outra cidade pelo SUS, como Campo Grande, por exemplo.

A família mora na rua João Borges, 450, no bairro João Paulo II, em Dourados. Os telefones para contato são: 3424-1986 e 9693-3940.