19 de janeiro de 2021
Campo Grande 27º 21º

Ariane Lima conta detalhes sobre agressões de Cicinho do PT

A agressão verbal do Presidente da Câmara de Vereadores de Naviraí ganha mais um capítulo. Ariane Lima, que que foi xingada pelo vereador Cicinho do PT, na noite de segunda-feira, conversou com o MS Notícias e contou em detalhes o que aconteceu no dia  da agressão verbal.Segundo Ariane, ela recebeu uma ligação de Fernanda, sua amiga que foi atropelada por Mainara Malinski, esposa de Cicinho, enquanto estava na grupa de uma motocicleta Honda Biz, lhe dizendo que ela estava no hospital e pediu a Ariane que fosse à delegacia. Ariane conta que quando soube quem era a autora do atropelamento imediatamente se preocupou coma gravidade da situação. Segundo Ariane Mainara fechou as duas jovens que estavam na moto de propósito. "Ela confundiu a Fernanda que estava na garupa comigo. Ela já tinha prometido que ia me matar." Conforme Ariane, testemunhas que viram o acidente afirmam que Mainara vinha de uma festa e estava embriagada. Ariane afirma que a esposa de Cicinho seguiu as jovens na moto e mesmo suas amigas tentando desviar dela acabaram sendo atropeladas."Fiquei preocupado porque a Mainara já tinha prometido uma vez que ia me matar, aí as meninas me contaram que estavam no hospital e iam na delegacia depor aí eu fui lá com elas", explica Ariane. O motivo pelo qual a esposa do vereador Cicinho pode ter proferido tal ameaça, segundo Ariane, é passional. A jovem explica que namorou o vereador durante dois meses há cinco anos, e que depois do término do namoro ele e Mainara se conheceram. Segundo Ariane, Mainara pode ter ciúmes da jovem. "Quando cheguei  a Mainara e o Cicinho já estavam lá aí falei para o policial que a Mainara não queria atropelar as meninas e queria me atropelar. Aí o Cicinho já mandando eu fecharmeu cú e aí eu respondi ele ." "Um mês atrás estávamos em um baile e ela pegou os dois dedos e mostrou na minha cara que iria me bater e me matar e como a Fernanda é muito parecida comigo suspeitamos que ela poderia ter seguido as meninas e ter atropelado de propósito. Por isso resolvemos ir até à delegacia", explica Ariane. A jovem conta que terminou o relacionamento de dois meses porque a família não aceitava o vereador. Ariane foi até a delegacia e conta que pouco depois Cicinho chegou e viu que ela e suas amigas estavam prestando depoimento. "Quando ele chegou deu para ver que ele estava bêbado. Ele me viu e me xingou, gritou comigo e tentou me bater. Só não apanhei porque os policiais estavam ali", relembra a jovem, que agora se diz amedrontada com a situação por acreditar que Mainara é "disturbinada" assim como Cicinho, que, segundo ela, resolve as coisa da maneira com lhe vem à cabeça. Ouça o áudio da entrevista [soundcloud url="https://api.soundcloud.com/tracks/156188215" params="auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&visual=true" width="100%" height="450" iframe="true" /] Heloísa Lazarini