22 de junho de 2021
Campo Grande 28º 16º

Falta de estrutura faz Dourados perder voo “corujão” para SP

A- A+

Sem a possibilidade e previsão para operar através de instrumentos, os passageiros que utilizam o aeroporto Francisco de Matos Pereira em Dourados, voltarão a ficar sem a opção do voo da madrugada por mais de três meses. A Azul Linhas Aéreas, única companhia a prestar o serviço neste horário – decola às 3h20 - não vende mais o bilhete entre os dias 10 de maio e 30 de agosto.

A ação já foi realizada no ano passado quando a empresa parou por período parecido alegando que os nevoeiros, comuns no inverno, dificultariam a conclusão da viagem de pouco mais de duas horas entre a cidade paulista de Campinas e a sul-mato-grossense.

?

A necessidade de se desviar a rota para Campo Grande, fazendo toda a logística dos passageiros, se torna inviável economicamente.

A falta de estrutura no aeroporto de Dourados é evidente. Há anos existe o pedido para a homologação das operações através de instrumentos, porém, esbarra na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

A sala de espera já não comporta o movimento de pessoas que utilizam o local e não há esteira para bagagens. Apenas duas companhias operam na cidade, além da Azul, a Passaredo Linhas Aéreas realiza voos direto para Guarulhos (SP) com escala em Cascavel (PR) no retorno.

Verbas Federais

Em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura, responsável pelo aeroporto, a informação é que o município será beneficiado com o programa de Desenvolvimento da Aviação Regional do país, criado pelo governo federal e que prevê investimentos superiores a R$ 7,3 bilhões em 270 aeroportos espalhados por todas as regiões.

O repasse para o Francisco de Matos Pereira será de R$ 36,8 milhões a ser utilizado na reforma completa do local, com instalação de um novo terminal de passageiros, ampliação no pátio destinado às aeronaves e melhorias na pista de pousos e decolagens.

Atualmente apenas os aviões ATR’s, com capacidade para 70 passageiros podem operar na cidade e após concluídas as obras, poderá receber aeronaves com 160 lugares.