27 de janeiro de 2022
Campo Grande 30º 22º

SOLIDARIEDADE

Família chega à cidade de MS só com colchões e se surpreende ao pedir ajuda no Facebook

Casal e dois filhos estavam passando dificuldades ao chegar no município

A- A+

O pedreiro Eduardo Pereira, de 37 anos e a esposa dele, Tainara Gomes Holosback, de 22 anos, pais de Arthur Felipe Pereira Holosback, de 2 anos, e Davi Miguel Gomes o Campo, de 4 anos, tiveram uma surpresa positiva quando ao mudar com a família para Antônio João (MS). 

A família estava sem móveis, tendo apenas a casa para morar dois “colchões”, mas um post no Facebook fez se criar uma corrente do bem, em que várias pessoas fizeram doações e conseguiram móveis básicos para que a família tivesse o mínimo. 

“(sic) Boa tarde gente! Acabei de chegar aqui na Cidade, eu e meu marido e mais 2 filhos viemos a serviço agora, alugamos uma casa. Moro aqui em Antônio João, na Vila Pôr do Sol, Rua das Rosas nº 7 e estamos só com o colchão no chão. Quem tiver algum móvel que não usa mais e quiser nos doar eu agradeço do fundo do meu coração ou alguém quiser vir olhar nossa situação, passo o endereço. Desde já agradeço qualquer coisa chamar no whats 992208957”, escreveu Tainara, em 6 de janeiro num grupo de Antônio João com 3,6 mil membros. Junto ao post haviam as fotos (abaixo), mostrando que eles estavam cozinhando em com uso de latinhas de cerveja cortada: 

Latinhas de cerveja e tijolos eram usados como fogão por família sul-mato-grossense. Foto: Arquivo pessoalLatinhas de cerveja e tijolos eram usados como fogão por família sul-mato-grossense. Foto: Arquivo pessoal

A publicação ganhou engajamento poucos dias depois. Um dos integrantes do grupo respondeu: “ (sic) Eu tenho uma box [cama], só a parte da madeira de cima”, ofertou o perfil de Carol Acosta.

O perfil de Jorge Pompeo confirmou que a família de fato estava precisando do auxílio dos demais e disse: “(sic) Gente, é o seguinte! Eu, Jorge Pompeo - Fui lá pessoalmente conferir e realmente é o que tá escrito no texto e um pouco mais!” ... Logo, uma integrante do grupo avisou que iria no dia seguinte à casa da família.

“(sic) Alguém entra em contato com Assistência Social do município para ajudar essa família”, orientou o perfil de Wilson Ferreira. 

No mesmo dia, o perfil de Sandra Vedovato engajou-se: “(sic) Pessoal, quem tiver uma geladeirinha pequena para doar para essa família será de grande ajuda porque estão perdendo os alimentos devido ao calor. Leite das crianças, etc”, escreveu. 

Após o post família ganhou geladeira, mesa, fogão. Essa imagem é da cozinha/sala com os móveis postos. Foto: Arquivo pessoalApós o post família ganhou geladeira, mesa, fogão. Essa imagem é da cozinha/sala com os móveis postos. Foto: Arquivo pessoal

O perfil de Dério Ramos resolveu marcar o prefeito e alguns vereadores do município: "(sic) Marcelo Pé, Adriano Brum, Luis Ramão Franco Pires, Ramão Waldir”, listou. (Veja o que eles dizem no final do texto).  

“(sic) Gente é o seguinte! Ganharam o fogão já está lá na casa + está sem o registro e ainda não tem bujão! Será que alguém não tem um para emprestar?”, perguntou o perfil de Jorge Pompeo.

Família recebeu móveis por meio de doações da corrente do bem formada por populares. Foto: Arquivo pessoalFamília recebeu móveis por meio de doações da corrente do bem formada por populares. Foto: Arquivo pessoal

Logo depois, Taianara avisou: "(sic) Já conseguimos o botijão obrigado meu Deus", disse. 

No dia 8 de janeiro, nos comentários do próprio post, Taianara fez um agradecimento. "Gente, já conseguimos o botijão, fogão, máquina e alimentos... Obrigado a todos que estão nós ajudando", celebrou a mãe.

Fogão e botijão foram doados á família de Taianara. Foto: Arquivo pessoalFogão e botijão foram doados à família. Foto: Aps

Após a mobilização, a família conseguiu uma parte dos móveis básicos. Diante disso, o pai, Eduardo, impressionado com a recepção da população resolveu fazer um post no mesmo grupo em agradecimento. “(sic) Eu, Eduardo em nome da minha família, venho agradecer primeiramente a Deus e todos vocês que se mobilizaram para nos ajudar. Não tem palavras que possam ser ditas para agradecer a todos vocês que nos ajudaram, sendo com que nós estávamos precisando e até mesmo divulgando. Que Deus supra todas as suas necessidades, não só material, mas de toda alma. Obrigado mesmo, de coração! E que Deus abençoe a todos e continuem assim fazendo o bem sem olhar a quem que o retorno vem do altíssimo”, no mesmo dia 8 de janeiro.  

A reportagem procurou a família, eles disseram que não imaginavam que um post na rede social traria tão rápida ajuda. "(sic) Nós não imaginávamos que seríamos tão bem recepcionados dessa forma. Eu mesmo nem sabia que minha mulher tinha feito esse post no Face, até que chegou a primeira mensagem e depois não parava de chegar”, lembrou.

“(sic) Está faltando um guarda-roupa, pois, ganhamos muita roupa e não tem onde colocar e um armário, ganhamos 4 cesta-básicas e não temos onde colocar. E uma bicicleta e um ventilador, que estamos com um ventilador e uma bicicleta emprestada”, pontuou. 

Roupas recebidas estão sobre uma tábua, visto que a família ainda não tem um guarda-roupas. Foto: Arquivo pessoalRoupas recebidas estão sobre uma tábua, visto que a família ainda não tem um guarda-roupas. Foto: Arquivo pessoal

Para quem quiser ajudar a família, basta entrar em contato no (67) 992208957 e falar com o casal. 

Cestas básicas que a família recebeu por meio de doações. Foto: Arquivo pessoalCestas básicas que a família recebeu por meio de doações. Foto: Arquivo pessoal

“(sic) Eu queria agradecer primeiramente a Deus por ter nos abençoado, segundo a todas as pessoas que nos ajudaram, em especial Jorge Pompeu, Márcio e todo pessoal da igreja Rede Ao Mar, pastor Geovani e pastora Gisa”, finalizou o pai.  

A reportagem telefonou à Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS) para perguntar se a pasta teria tomado conhecimento de que a família estaria precisando de ajuda, ao telefone, uma atendente pegou os nomes, em seguida a ligação foi interrompida, e as demais ligações não foram atendidas. 

O MS Notícias procurou o prefeito Marcelo Pé, em contato com a prefeitura, a assessoria do político disse que ele estava em reunião, por isso não poderia de imediato falar com o repórter. Eles ficaram de passar uma resposta se o prefeito ficou sabendo ou não da situação da família de Tainara e Eduardo.  

Os vereadores citados não foram localizados.