07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Vagas de emprego

Interior sofre com crise e fecha ano com saldo negativo em contratações

A instabilidade financeira que assombra a economia brasileira impacta diretamente a economia das cidades do interior do país. Em Corumbá, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o saldo de contratações do ano passado fechou negativo com menos 614 vagas. De janeiro a dezembro de 2015, foram 5.002 contratações com carteira assinada.

Os setores econômicos que mais demitiram durante todo o ano passado, foram os de Serviços (1.949 demissões); comércio (1.381); agropecuária (1.277); indústria de transformação (397); o setor extrativo mineral (284); Construção Civil (252) e serviços de indústria de utilidade pública (76).

 Apenas dois segmentos não registraram déficit de vagas. O setor de serviços de indústria e de utilidade pública teve saldo zero, contratou e dispensou o mesmo número de profissionais de janeiro a dezembro de 2015. A agropecuária teve o melhor desempenho, com saldo positivo de 99 vagas. Os setores que apresentaram piores números foram: serviços (-301 vagas) e extrativo mineral (-204).

Os primeiros dados de 2016 mostram que em janeiro, o mercado corumbaense regular contratou 422 pessoas com carteira assinada e dispensou 421, saldo relativamente positivo para criação de apenas 1 posto de trabalho.  Com 30 demissões, o setor que mais despediu durante janeiro foi o de extração mineral, não tendo contratado ninguém. Outro setor que diminuiu ofertas de trabalho foi o de serviços fechando o mês com saldo negativo de 15 vagas. A pecuária apresentou o melhor número fechando janeiro com saldo positivo de 42 postos de trabalho entre demissões e contratações.