18 de outubro de 2021
Campo Grande 23º 17º

INTERIOR | MEIO AMBIENTE

Nas vésperas do Dia da Árvore, mais de 100 são cortadas; "sujam muito" diz prefeito

Moradores de Deodápolis manifestam indignação e revolta nas redes sociais após remoção de centenas de Sibipirunas

A- A+

Em Deodápolis - cidade que fica a 264,7 km de Campo Grande - na semana passada, até o dia 17, cerca de 100 árvores da espécie Sibipiruna foram retiradas da Avenida Genário Costa Matos. Quatro dias depois foi celebrado nacionalmente (inclusive com ações no município) o Dia da Árvore

Essa retirada causou indignação em muitos moradores que há décadas usufruíram das sombras proporcionadas. Segundo o prefeito Valdir Luiz Sartor, a obra possibilitará a duplicação da avenida, devido ao grande fluxo de carros presente. 

"Será implantada uma faixa a mais em cada um dos lados do canteiro. Mas para isso, precisava retirar essas árvores, que são impróprias para o local, pois delas caem folhas e sujam muito o ano inteiro", relatou o chefe do executivo municipal. 

De acordo com o prefeito de Deodápolis, há cerca de quatro anos o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul foi procurado, visando a execução de uma obra que construiria um anel viário na região. Com o serviço classificado como inviável, o jeito foi partir para a retirada das espécies. 

Além de classificar a Sibipiruna como imprópria para o local, já que, segundo ele "sujam muito", Valdir relata que, ao serem realizados os estudos, foi constatado inclusive que boa parte das árvores estavam ocas. 

Segundo o mandatário de Deodápolis, há um compromisso da prefeitura com o meio ambiente. "Cerca de 100 árvores serão plantadas para cada uma daquelas que foram retiradas", detalhou ele, dizendo que há quatro anos iniciou na cidade o plantio de 5 mil espécies nativas, que envolvem Ipês e Jacarandás no projeto de arborização urbana. 

"Campo Grande sempre está entre as três cidades mais arborizadas do país. Nossa meta é, dentro das proporções, ficar entre os destaques nacionais nesse quesito também", informa o prefeito. Ele aponta que as obras acontecem no município em comum acordo entre os poderes, respaldadas pelo trabalho de fiscalização da Defesa Civil de Deodápolis. 

REPERCUSSÃO

Ainda que a prefeitura tenha celebrado o Dia da Árvore,  em 21 de setembro, com uma ação em que alunos da Escola Municipal Elizabete Lucena Campos, no Centro de Múltiplo uso do município, realizaram plantio de mudas (imagem ao lado), a situação de ver as árvores mais antigas serem cortadas, não agradou os moradores, que destilaram sua indignação nas redes. 

Djanifer Paiva foi uma moradora que se chocou com o corte. "Quando cheguei na cidade, sempre gostei das ruas, das árvores! De manhã o canto dos pássaros, fácil ver tucanos, araras, maritacas nos galhos. E de tardezinha a sombra fresca! Triste ver que estão sendo cortadas", publicou. 

Outra moradora mostrou o trajeto do canteiro, onde restavam apenas os troncos cortados próximos ao chão, com um texto em que agradece os momentos vividos perto daquelas Sibipirunas. 

"Foram anos de trajeto, indo e voltando nas suas sombras, às vezes a pé, às vezes de bicicleta, mas todas as vezes   que o sol brilhava lá estavam vocês com aquela sombra maravilhosa. Obrigada por fazer parte por muitos anos do meu caminhar do BNH 2° Plano, até na cidade como falávamos nos velhos tempos. Obrigada por cada sombra que vocês ofereceram para as minhas filhas quando voltavam da Escola 13 de Maio . Guardarei o sorriso de vocês em cada balançar das suas folhas , em cada vento tocado no meu rosto . Obrigada, árvores da Avenida Genário  Costa Matos", finalizou Rosilene de Oliveira.

** (Até o fechamento da matéria, o prefeito Valdir Luiz Sartor não apresentou os documentos de estudos realizados junto à Defesa Civil, ou os laudos citados que atestem que as árvores estavam de fato ocas).