19 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Prefeitura de Dourados abastece cisternas da aldeia Bororó

A- A+

Para amenizar a crise de água que há alguns anos atinge a aldeia Bororó no município de Dourados – distante 225 quilômetros de Campo Grande – a prefeitura do município passará a dar assistência, como  envio de caminhão pipa para abastecer as cisternas. Conforme divulgado pelo site Dourados Agora, na última sexta-feira houve o primeiro abastecimento. O caminhão pipa irá até a aldeia quando os reservatórios começarem a esvaziar. Ele encarregou o vereador indígena Aguilera de Souza (PSDC) para acompanhar o trabalho de perto, de forma que não falte água na comunidade O problema é que a água não chega a todas as residências da aldeia, pois  muitas casas estão longe do encanamento que passa pelas principais ruas da aldeia. Sem força, a água não percorre os canos a ponto de chegar na caixa d'água de famílias. Muitas delas nunca viram um pingo d'água. Devido a isso, está sendo feito uma força-tarefa na tentativa de buscar soluções para resolver o impasse da falta d'água. A Reserva Indígena é de responsabilidade do governo federal e o abastecimento de água da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), órgão também vinculado ao governo federal. Reuniões estão sendo mantidas de forma que se crie um projeto que envolva as esferas municipal, estadual e federal para resolver a falta d'água. Moram na reserva de Dourados cerca de 14 mil indígenas. Na aldeia bororó há quatro reservatórios de água. Aguilera estima que eles secam uma semana após abastecidos e a Sesai os reabastecem a cada duas semanas ou mais. Tayná Biazus