17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Secretaria municipal de Caarapó alerta sobre febre Chikungunya

A- A+

O coordenador de vetores de Caarapó, Ivo Benites afirmou que a população do município deve ficar em alerta no sentido de combater a febre Chikungunya, caso ocorra notificação de casos da doença.

Em entrevista ao Caarapó News, o coordenador disse que a doença deixou o Estado em alerta, pois são duas espécies de mosquitos transmissores, o Aedes Aegypti e o Aedes Albopictus.

Segundo Benites, os referidos vetores transmitem a febre Chikungunya, sendo que apenas as fêmeas transmitem o vírus. “De acordo com estudos a doença pode ser considerada grave, pois seu índice de mortalidade pode chegar a 65% caso a pessoa infectada já tenha outras doenças, como diabetes, hipertensão arterial e outras comorbidades, quanto mais idoso o paciente, maior a probabilidade de óbito”.

De acordo com a secretaria de estado de saúde de Mato Grosso do Sul, a febre tem o poder de se espalhar pelo continente em apenas 10 meses, e isso significa que quando começar o período do verão o Brasil corre risco muito alto de transmissão.

Cerca de 337 casos da doença foram registrados até o último dia 11, de acordo com último relatório do Ministério da Saúde. E uma das localidades com ocorrência de casos da doença é a capital do Estado, onde um homem de 34 anos foi diagnosticado após resultados de exames.

A febre Chikungunya possui sintomas similares aos da dengue, como febre de início súbito acima de 39 graus, dores intensas nas articulações de pés e mãos, dedos, tornozelos e pulsos. Podendo ocorrer também dores de cabeça, nos músculos e manchas vermelhas na pele. A doença apresenta três formas clínicas sendo elas: clinica aguda, subaguda e crônica. Sendo que na fase crônica a doença pode durar de meses até dois anos.

Dany Nascimento