01 de agosto de 2021
Campo Grande 27º 13º

Sidrolândia: Vadinho pede a nacional do PT que puna petistas se não deixarem gestão tucana

A- A+

O vereador Edivaldo dos Santos encaminhou quinta-feira passada à direção do partido em Brasília oficio para cobrar o cumprimento da resolução partidária expedida em 2012 que proibiu o partido de coligar com o PSDB na eleição municipal em conseqüência de participar da gestão tucana em Sidrolândia. Vadinho está na expectativa de que a direção nacional determine aos petistas com cargos em comissão na Prefeitura que peçam exoneração sob pena de serem expulsos do partido. “Quem não se antecipar e cumprir a decisão, com certeza sofrerá punição”, avalia o vereador. Ele próprio foi punido com base nesta mesma resolução, por ter apoiado a candidatura de Enelvo Felini, na eleição de outubro e depois a de Ari Basso, na eleição suplementar. Atualmente duas secretarias (de Assistência Social e de Desenvolvimento Agrário) são comandadas por petistas que também ocupam cargos de segundo e terceiro escalão. Vadinho, que hoje é um dos principais críticos da administração municipal, depois de ser líder do prefeito em 2013, não vê mais sentido no PT de se manter no Governo, quando várias propostas de campanha, como a manutenção da gratuidade do transporte universitário e o apoio à agricultura familiar, deixaram de ser cumpridos. Ele garante que este posicionamento  não é uma resposta à demissão na semana passada de quatro petistas, um deles vizinho do vereador no Assentamento Geraldo Garcia. Esta posição de Vadinho é contestada por seu colega na Câmara, Sérgio Bolzan, que continua na base do Governo. “Na semana passada o diretório municipal se reuniu e decidiu  permanecer na administração” resume Bolzan, que vê sinais de recuperação da gestão Ari Basso com a retomada dos investimentos em obras e projetos. Região News