30 de setembro de 2020
Campo Grande 40º 23º

Veículos com tacógrafos irregulares são barrados por fiscais do Inmetro

Pelo menos 20 motoristas foram multados por fiscais do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), entre ontem e esta quinta-feira (27), na barreira montada no posto da PRF (Polícia Rodoviária Federal), no quilômetro 02 da BR-262, na entrada de Três Lagoas.

Tal fato se deve a ação nacional do Instituto em busca de irregularidades em tacógrafos usados em veículos pesados de cargas e de passageiros.

Centenas de milhares de proprietários de vans, ônibus e caminhões estão circulando sem o selo de certificação do Inmetro no seu cronotacógrafo e podem ser multados. A média das multas para infratores primários é de R$ 1.200,00, mas pode chegar a R$ 50.000,00.

O cronotacógrafo é equipamento obrigatório para veículos de transporte de cargas, de passageiros e escolar - com mais de dez lugares - e que tenham peso superior a 4,536 kg.

Conhecido como caixa preta do setor de transportes, informa a distância percorrida, há quantas horas o motorista está dirigindo e qual a velocidade praticada em toda a viagem. Essas informações são essenciais para evitar abusos e permitir que as empresas e órgãos de trânsito reduzam acidentes com veículos pesados, além de serem utilizadas em perícias de acidente.

Apesar da obrigatoriedade de fazer a vistoria do equipamento e obter o certificado e lacre do Inmetro, muitos proprietários desconhecem essa obrigação ou deixam de cumprir por negligência e outros fatores.

A fiscalização está apertando em todo país e os desavisados, além da multa, poderão ficar sem autorização para transportar, enquanto não regularizarem a vistoria do equipamento. Como o agente fiscalizador pode verificar com facilidade se o veículo está regular, apenas tendo os dados da placa, a fiscalização é rápida e a irregularidade constatada de imediato

Perfil News