16 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Direitos

A Câmara parece ter entendido que a reação popular é o povo pelo povo

O ex-governador e deputado federal Zeca do PT avaliou que a pressão dos trabalhadores adiou votação de destaques da lei da terceirização.

A- A+

Após acordo de lideranças, a Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem (15), a retirada da pauta de votações do PL 4330, que regulamenta a terceirização de áreas-fins. Para Zeca do PT, a decisão foi reflexo das mobilizações dos trabalhadores e trabalhadoras contra o projeto nas ruas e nas redes sociais. 

"A pressão popular tem feito que os parlamentares que votaram contra os trabalhadores e aprovaram o PL 4330 revissem seus posicionamentos. Conseguimos adiar a votação dos destaques do projeto, para que tenhamos mais discussões sobre o tema. Se fosse aprovado do jeito que está, teríamos sérios prejuízos e perdas dos direitos trabalhistas", pontuou Zeca do PT.

Zeca que afirma que a população deve ficar atenta para votação dos destaques, que deve voltar a acontecer na próxima semana.

O adiamento da votação, defendido pelo governo, conseguiu a adesão de da oposição, entre os quais o PSDB, e de algumas siglas da base. A proposta permite a terceirização de qualquer atividade. Hoje, apenas as atividades-meio podem ser terceirizadas.

Considerado derrota em sua própria casa, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) reafirmou seu contra o adiamento. “Meu compromisso é com a votação, não é com o conteúdo. A gente sabe que é da política fazer adiamentos para construir acordos. Mas pessoas que são contra tendem a adiar todas as votações e na medida em que vai votar constroem o entendimento”, afirmou Cunha.