22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

ROTA BIOCEÂNICA

Bioceânica: Etel é escolhida para projeto da Ponte sobre o Rio Paraguai

Empresa foi a selecionada para obra que mudará história de Porto Murtinho

A- A+

A empresa Estudos Técnicos Ltda (Etel) é a responsável por elaborar os estudos e apresentar o projeto do acesso à ponte sobre o Rio Paraguai, em Porto Murtinho. A contratação é feita pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), e divulgada nesta manhã de 2ª-feira (9.nov.2020), publicada no Diário Oficial do Estado. 

Essa é mais uma etapa avançada pelo governo brasileiro no processo de concretização da Rota Bioceânica.

Conforme publicação, a Etel vai elaborar Estudos e Projetos Básico e Executivo de Engenharia do Contorno Rodoviário Norte em Porto Murtinho/MS, com o acesso à Ponte Internacional, Brasil/Paraguai e respectivas instalações aduaneiras para o Centro Integrado de Controle de Fronteira, na rodovia BR-267/MS.

O contorno terá 13,10 quilômetros de extensão, localizado entre o km 678,10 e o km 691,20 da BR-267.

Esse é Jaime VerruckEsse é Jaime Verruck. Foto: Reprodução 

O secretário de Meio Ambiente de Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de MS (Semagro), Jaime Verruck explicou que o passo é importante no andamento das obras de concretização da Rota Bioceânica, no que diz respeito aos compromissos do governo brasileiro. “Com a contratação do projeto executivo, vamos ter o traçado definitivo, como vai ser executado o trevo de acesso. Essa é uma obra que já conta com recursos alocados pela bancada federal na LOA de 2021”, comentou o secretário.

O secretário apontou que para que a obra avance será necessário um controle aduaneiro integrado. “Já nos reunimos com o Dnit e vamos agora estabelecer qual o tamanho, a melhor localização e a melhor forma de funcionamento. Essa é uma obra fundamental, pois a Rota Bioceânica não vai funcionar se não tivermos um controle aduaneiro integrado”, afirmou.

Verruck completou dizendo que o governo federal e o Governo do Estado já estão em tratativas com o Paraguai para que eles sejam parceiros, não na construção, mas principalmente na viabilização de uma aduana integrada. “Nesse Centro teremos a Receita Federal, a Polícia Federal, a Iagro, o Ministério da Agricultura, enfim, todos os órgãos de controle necessários para que consigamos fazer fluir as operações de importação e exportação através da Rota Bioceânica”, finalizou.