08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

GREVE GERAL | CAMINHONEIROS

Caminhoneiros mantêm paralisação geral: "Não quer esmola"

Reações ocorrem após nesta quinta (21.out) o presidente Jair Bolsonaro prometer uma espécie de auxílio-diesel

A- A+

“O caminhoneiro não quer esmola, quer dignidade. Para as petroleiras (dão) um trilhão, para o caminhoneiro humilhação”, afirmou ao jornal Estadão Carlos Alberto Litti Dahmer, diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL), confirmando a greve geral da categoria no próximo dia 1º de novembro.

Wallace Landim (conhecido como Chorão), presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava) e que liderou a greve de caminhoneiros em 2018, deu entrevista ao portal Metrópoles e foi na mesma linha: “Caminhoneiro não faz nada com R$ 400, com diesel na média de R$ 4,80. Os R$ 400 propostos pelo presidente não atendem as demandas dos caminhoneiros. Manteremos nossas demandas e greve em 1º de novembro”, declarou.

A a greve dos caminhoneiros em 1º deve ter abrangência nacional e é organizada pela CNTTL, Abrava e Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC).

As reações ocorrem após nesta quinta (21.out) o presidente Jair Bolsonaro prometer uma espécie de auxílio-diesel no valor de R$ 400, que contemplaria  750 mil caminhoneiros autônomos. Veja AQUI.