23 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 20º

PERIGO

Coronavírus pode causar diabetes em pessoas saudáveis, alertam cientistas

Grupo internacional com 17 pesquisadores escreve carta no 'The New England Journal of Medicine'. Ainda não se sabe qual é o tipo de diabetes desencadeado, ou se é uma nova versão da doença.

Em carta publicada no "The New England Journal of Medicine", uma equipe especializada de 17 cientistas alerta para a chance de a Covid-19, doença do Sars CoV-2, desencadear o aparecimento de diabetes em pessoas saudáveis, além de causar complicações graves em pacientes que já tinham a doença.

O grupo internacional do projeto "CoviDiab Registry" chama a atenção para as evidências que começaram a surgir desde o início da pandemia e precisam de uma investigação para confirmação científica. Os pesquisadores se reuniram para tentar entender as relações entre a diabetes e a Covid-19 e, assim, pensar em formas eficientes de tratamento e monitoramento.

"Existe uma relação bidirecional entre a Covid-19 e a diabetes. Por um lado, a diabetes está associada a um risco maior de desenvolver a Covid-19 grave. Por outro, foi observada em pacientes com Covid-19 uma diabetes desenvolvida recentemente e também complicações metabólicas graves decorrentes de uma versão pré-existente da doença, incluindo a cetoacidose diabética e a hiperglicemia hiperosmolar, que necessitam de doses excepcionalmente altas de insulina", diz a carta.

De acordo com as observações clínicas, 20% a 30% dos pacientes que morreram devido ao novo coronavírus eram diabéticos. Uma das evidências encontradas até o momento está relacionada à forma como o Sars CoV-2 ataca os tecidos do corpo humano.

O receptor ACE2, uma das portas de entrada nas células, está localizado nos pulmões e vias respiratórias, mas também é encontrado em órgãos envolvidos na regulação da glicose: pâncreas, intestino delgado, tecido adiposo, fígado e rins. Os cientistas acreditam que a chegada do Sars CoV-2 a esses tecidos poderia causar disfunções no metabolismo, causando a diabetes. Sabe-se também, por outras infecções virais, que elas podem causar o aparecimento do diabetes tipo 1.

"Com o curto período de contato humano com esse novo coronavírus, ainda não está claro exatamente como ele age no metabolismo da glicose. Não sabemos se a manifestação aguda da diabetes nesses pacientes representa o tipo 1 clássico, o tipo 2 ou possivelmente uma nova forma de diabetes", disse Francesco Rubino, professor de cirurgia metabólica no King's College London e pesquisador no projeto CoviDiab Registry.

Paul Zimmet, professor na Universidade Monash, em Melbourne, presidente honorário da Federação Internacional de Diabetes e pesquisador do CoviDiab Registry, explica que "ainda não sabemos a magnitude do novo diabetes na Covid-19 e se ele vai persistir ou vai se resolver após a infecção".

"Estamos solicitando à comunidade médica internacional que compartilhe rapidamente as observações clínicas relevantes que possam ajudar a responder essas perguntas", pediu Zimmet.