23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

Dilma tem surpresa com tom de Marta e Gilberto

A- A+

A presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) não recebeu a melhor notícia da semana ao desembarcar em Doha, no Qatar, para uma parada de descanso em sua viagem à Austrália, para a reunião do G20. A comitiva que a acompanha foi surpreendida, em terra, pela notícia da demissão, por carta, da ministra da Cultura, Marta Suplicy. Mais ainda pelos termos usados por Marta, que criticou a política econômica e fez torcida para que um novo nome à frente do Ministério da Fazenda possa "resgatar" a credibilidade do governo junto ao mercado.

A presidente não fez declarações durante a parada, mas sua assessoria adiantou que ele poderá dar uma entrevista coletiva amanhã.

Na véspera da saída de Marta também houve surpresa pelo tom empregado pelo secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, na entrevista que ele concedeu à rádio BBC Brasil. Usando termos como "tiro no pé" e "falta de diálogo", o ministro afirmou que o governo de Dilma teve um relacionamento pior com os movimentos sociais e no enfrentamento da questão indígena do que a gestão do presidente Lula. Não havia sinais de que Carvalho fosse alfinetar a presidente. Da soma das duas manifestações ficou a certeza de que Dilma precisará de um ministério, no segundo mandato, com mais unidade em torno de sua figura institucional.

Karla Machado com Brasil 247