14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 19º

COVID-19

Estado adota, a partir de domingo, toque de recolher de 20h até 05h

Municípios estão livres para adotar medidas mais rígidas e prefeito Trad defende que duas horas não irão "surtir efeito"

Nos últimos dias, a macrorregião de Campo Grande registrou colapso da saúde, com 106% da ocupação dos leitos de UTI e uma superlotação no interior do Estado. Na publicação de hoje (10.mar.2021) o Diário Oficial do Estado trouxe decreto que estipula o novo toque de recolher, a partir de domingo (14), entretanto descarta adoção de lockdown em Mato Grosso do Sul. O Governador Reinaldo Azambuja destacou o esforço na busca pela abertura de 48 novos leitos de UTI por MS.

Informações do Governo Estadual revelam que essas UTI's serão divididas entre as cidades de Aparecida do Taboado, Coxim, Dourados, Ponta Porã e Três Lagoas. Fica estipulado o toque de recolher das 20h às 5h a partir de domingo (14), até 27 de março, nos 79 municípios, que estão livres para adotarem medidas ainda mais restritivas. Em Campo Grande, Marquinhos Trad cobrou novos leitos, delegados por ele como obrigação do Governo e União, e disse que diminuir duas horas no toque de recolher não iria surtir efeito, segundo apurou o Campo Grande News.

Um grupo de 20 governadores, contando com Azambuja, firmou um pacto nacional, por onde cobram ações mais contundentes do Governo Federal de combate à Covid-19. Entretanto, o decreto desta 4ª feira (10.mar) estipula que, durante o intervalo do toque de recolher podem funcionar serviços de saúde, transporte, alimentação por meio de delivery, farmácias e drogarias, funerárias, postos de gasolinas, indústrias, correios e igrejas, desde que respeitando as medidas de biossegurança.

Mas ficam suspensas as cirurgias eletivas, a não ser as já agendadas, além de que barreiras serão adotadas sanitárias serão instaladas nos aeroportos e pontos de fiscalização nas rodovias, como as seis anunciadas para as saídas da Avenida Três Barras e cidades de São Paulo; Três Lagoas; Sidrolândia; Cuiabá e Corumbá. Elas funcionarão diariamente, de 07h às 18h, inclusive nos fins de semana, sendo que mais de 200 pessoas estarão mobilizadas para abordar, orientar e fazer a desinfecção de veículos, inicialmente por 15 dias.

“O objetivo maior é conscientizar essas pessoas sobre as medidas de prevenção e, de certa forma, controlar o acesso ao nosso munícipio de pessoas suspeitas, considerando que todo o País está sofrendo com o aumento no número de casos, além da circulação de novas cepas do vírus”, explica Veruska Lahdo, superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde.

Estão proibidas nesse período a realização de eventos, reuniões, shows e festividades em clubes, salões e locais onde o espaço físico não permita o respeito às regras de biossegurança. Cada município fica livre para adotar medidas de restrição mais rígidas.

"As medidas definidas neste decreto foram baseadas na ciência para evitar o colapso dos sistemas de saúde e salvar vidas. Os setores da economia têm até sábado (13.mar.2021) para se organizar e fazer um planejamento de suas ações", completou o governador.

Leia também

• Medidas de segurança mais duras começam a ser tratadas pelos poderes