15 de abril de 2021
Campo Grande 33º 19º

INTERNACIONAL

Freira ajoelha e reza para impedir que policiais executem jovens contra ditadura em Mianmar

"A ação da freira e a resposta da polícia que, ao ver o apelo da freira, parou, surpreendeu a muitos de nós. Irmã Ann Nu Thawng é hoje um modelo para os líderes da Igreja", disse o católico Joseph Kung Za Hmung

A freira Ann Nu Thawng se ajoelhou e implorou para policiais que atuam em favor da ditadura instalada após o golpe de estado em Mianmar, para os militares não executarem jovens manifestantes que protestavam pacificamente contra a ditadura. A situação ocorreu no domingo, 28 de fevereiro, na Capital de Kachin.

Segundo sites locais, a freira pertencente a Congregação de São Francisco Xavier, interviu em um momento de repressão da polícia birmanesa.

O exército birmanês instalou a ditadura após perder as eleições e tomou o poder em 1° de fevereiro em um golpe, declarando “estado de emergência” de um ano. A ação dos policiais, segundo as Nações Unidas, matou 18 pessoas e feriu mais de 30 em todo o país.

“Na área de Myitkyina, as manifestações até agora sempre foram pacíficas e sem incidentes. No entanto, episódios de violência de ontem correram o risco de precipitar a situação”, disse o católico Joseph Kung Za Hmung, editor do “Gloria News Journal”, o primeiro jornal online católico em Mianmar.

Freira em Mianmar implora à polícia para poupar manifestantes.Freira em Mianmar implora à polícia para poupar manifestantes.  Foto: Reprodução Twitter @CardinalMaungBo

“A ação da freira e a resposta da polícia que, ao ver o apelo da freira, parou, surpreendeu a muitos de nós. Irmã Ann Nu Thawng é hoje um modelo para os líderes da Igreja: bispos e padres são chamados a sair das suas zonas de conforto e seguir sua coragem como exemplo”. Muitos não católicos também elogiaram os esforços corajosos da irmã Thawng, cuja ação se tornou viral nas redes sociais.

“Mais de 100 manifestantes conseguiram encontrar abrigo em seu mosteiro. Isso os salvou de espancamentos brutais e prisões por parte da polícia”, diz o diretor.

IGREJA EM MIANMAR 

Na homilia deste domingo, 28, o Arcebispo de Yangon, Cardeal Charles Maung Bo comentou sobre a crise social e política no país:

“O Evangelho da Transfiguração é tão atual que reflete os acontecimentos destes dias: Que transfiguração estamos procurando em Mianmar hoje? Se a buscarmos, toda a confusão, toda a escuridão, todo o ódio irão embora e nosso país, a famosa Terra de Ouro, será transfigurada em uma terra de paz e prosperidade”

O arcebispo reforçou que a paz é o único caminho e que é possível. Em suas palavras, no último mês, Papa Francisco pediu a resolução de todos os conflitos através do diálogo, e afirmou que quem quer o conflito não quer o bem da nação.

O cardeal Bo orou pela nação que “viu tanto sofrimento, tanta guerra, tantas mortes” e disse: “Como Abraão, buscamos uma terra prometida. A terra prometida vem quando estamos prontos para sacrificar o que consideramos muito querido.”

E concluiu sua mensagem, lembrando que a conversão é a mensagem central da Quaresma.

“Vamos nos desafiar. Vamos nos ver sob uma luz melhor. Há um possível novo mundo, um possível novo Mianmar, uma nação sem conflitos é possível se esse país for transfigurado na glória que merece. Façamos da paz o nosso destino, não do conflito.”

O arcebispo reforçou que as armas são desnecessárias, e que a população deve se “rearmar” por meio da reconciliação e do diálogo.

“O monte Tabor de Mianmar deve ser escalado com paciência e tolerância, se quisermos testemunhar essa transfiguração.”