06 de maio de 2021
Campo Grande 25º 16º

RACISMO ESTRUTURAL | ILLINOIS

IMAGENS FORTES: vídeo mostra policial matando Adam Toledo, de 13 anos, em Chicago

Atirador, que trabalha como policial há seis anos, foi apenas posto para cumprir funções administrativas como punição; jovem havia se rendido, mas ainda assim foi morto. 'Falhamos com Adam', disse prefeita, pedindo calma; manifestantes tomaram as ruas

A- A+

Vídeo revela que Adam Toledo, de 13 anos, foi perseguido e morto pelo policial Eric Stillman, de 34 anos, às 2h30 da madrugada de 29 de março, no Bairro Little Village, em Chicago, em Illinois (EUA). As imagens foram divulgadas, porém, nesta quinta-feira (15. abril), o que gerou revolta e manifestações pela cidade. 

Segundo o New York Times, a partir do vídeo e de outras 21 gravações divulgadas pelas autoridades, Adam parecia de fato estar desarmado. Pouco antes, é possível vê-lo segurando nas suas costas o que parece ser uma arma, mas ele joga o objeto em uma cerca de madeira antes de se render e virar com as mãos para o alto, na intenção de se render, momento em que é abatido. 

O policial Eric grita durante a perseguição: "Mãos. Mostre suas mãos. Largue [a arma]. Largue". Adam ergue os braços e se vira, segundos antes de Stillman disparar um tiro.

VEJA O VÍDEO ABAIXO (AS IMAGENS SÃO FORTES).  

Após disparar, o policial chamou uma ambulância, buscou o local de entrada da bala e fez massagem cardíaca. Em mais de um momento, é possível ouvi-lo dizendo "fique comigo". O policial senta-se, com respiração agitada, parecendo se arrepender do que acabara de fazer. 

Em suas primeiras declarações após o incidente, o Departamento de Polícia local havia dito que o jovem estava armado na hora que foi morto. Stillman, que trabalha como policial há seis anos, foi posto para cumprir funções administrativas como punição.

Na madrugada do homicídio, os agentes de segurança estavam perseguindo Adam e Ruben Roman, de 21 anos, depois de terem recebido a notificação de oito tiros disparados na área, segundo a polícia. Roman acabou preso.

Toda a situação levou a cidade a várias manifestações. A prefeita Lori Lightfood pediu calma. Em entrevista coletiva, com a voz embargada, ela descreveu a filmagem como “incrivelmente difícil de assistir, especialmente no fim” e disse: “Falhamos com Adam”.“E não podemos falhar com mais um jovem da nossa cidade”, acrescentou. “Apelo a todos os residentes que se preocupam com a cidade que esperem até termos todos os factos. Temos de continuar a enfrentar e não ignorar o facto de que Chicago, tal como muitas outras zonas do país, tem um longo historial de violência, que deixou muitos residentes, principalmente os negros e mestiços num estado permanente de medo e de dor”, pediu a prefeita.  

A divulgação do vídeo visai abrir o debate nacional sobre discriminação racial, racismo estrutural e violência policial, usando os EUA como exemplo do que não deve ser feito. Horas antes das imagens virem à tona, a ex-policial Kim Potter compareceu ao tribunal em Minneapolis após ser acusada de homicídio culposo. (Veja aqui esse caso).