18 de janeiro de 2021
Campo Grande 27º 22º

Lula fecha com Eunício e desata nós da sucessão

O nó mais complicado das eleições de 2014 foi desatado ontem pelo ex-presidente Lula, que recebeu vários caciques do PMDB, em São Paulo. No encontro, Lula assegurou que estará apenas no palanque do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), no Ceará. "O PT é Lula e Lula é Eunício", disse ao 247 o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), após a reunião. A escolha de Lula e do PT por Eunício deveria ser natural, uma vez que o senador peemedebista tem 43% das intenções de voto, segundo o Ibope, enquanto seus adversários, somados, não chegam a 15%. O problema, no entanto, são os irmãos Gomes. Tanto o governador Cid como seu irmão Cid cobram do Palácio do Planalto o apoio a um candidato do Pros, partido ao qual se filiaram recentemente. Seria uma espécie de retribuição pelo fato de terem rompido com o PSB, de Eduardo Campos, dividindo a base do socialista no Nordeste. Nesse jogo, a presidente Dilma Rousseff não esconde a gratidão pelo apoio que recebeu dos irmãos Gomes e abriu espaço aos dois no Ministério da Integração Nacional. No entanto, na composição das alianças, deverá prevalecer o pragmatismo de Lula e do PT, num estado, o Ceará, que tem um grande eleitorado e onde a presidente Dilma vinha perdendo apoio. Líder absoluto nas pesquisas, Eunício ameaçava até compor um palanque com o tucano Tasso Jereissati, que, assim, voltaria ao Senado. Ontem, no entanto, ao deixar o encontro, Eunício era só sorrisos. O senador na sua chapa deve ser indicado pelo PT e, provavelmente, será o deputado José Guimarães (PT-CE), irmão de José Genoino. Brasil 247