25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 22º

Lula obtém apoio de sindicalistas à reeleição

images-cms-image-000379534 São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reuniu-se ontem (30) pela manhã, na sede do Instituto Lula, no Ipiranga, zona sul de São Paulo, com lideranças da Força Sindical. Os sindicalistas estiveram com Lula, que deve ser o coordenador da campanha de reeleição de Dilma Rousseff (PT), para apresentar seu apoio à continuidade do governo petista e em defesa do avanço de pautas trabalhistas em um eventual segundo mandato da presidenta. "Apoiamos o atual projeto, que permitiu uma ascensão social sem precedentes no Brasil e é o projeto mais ligado às pautas dos trabalhadores”, disse João Carlos Gonçalves, o Juruna, secretário-geral da Força Sindical e 2º vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes.

Na semana passada, o presidente licenciado da central, deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, declarou apoio pessoal e de seu partido, o Solidariedade (dissidência do PDT que reúne diversos dirigentes da Força), ao candidato do PSDB à presidência, senador Aécio Neves (MG). Durante o ato de 1º de Maio deste ano, Paulinho chegou a levar o presidenciável ao palco da comemoração da central, ocasião em que Dilma foi criticada de forma deselegante tanto por sindicalistas como pelo senador mineiro. À época, o ministro do Trabalho, Manoel Dias (PDT), também presente à festa, já havia manifestado a divergência de posições em relação aos ex-colegas de partido. Na reunião de hoje, a pluralidade da Força voltou a ser destacada pelas lideranças presentes. O 1º secretário da Força e presidente da Federação dos Químicos do Estado de São Paulo, Sérgio Luiz Leite, o Serginho, fez questão de lembrar que a prioridade é que as questões trabalhistas e sociais continuem avançando. Serginho também disse que é importante que o diálogo entre governo e movimentos sociais continue a ser cada vez mais valorizado, e que as grandes conquistas que o país está alcançando sejam celebradas à altura, e conjuntamente com os trabalhadores. "A conquista dos 10% do PIB para a educação, por exemplo, é uma das pautas mais importantes do movimento sindical. E ela foi anunciada há uma semana, mas pouca gente ficou sabendo dessa conquista dos trabalhadores", resumiu. Também estavam lá, entre outros, o presidente da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Cláudio Magrão de Camargo Crê, os presidentes estaduais da Força em São Paulo (Danilo Pereira) e no Paraná (Sergio Butka) e o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Jorge Nazareno, o Jorginho – este último é filiado ao PT. O presidente da CUT, Vagner Freitas, participou do encontro. Brasil 247