20 de abril de 2021
Campo Grande 31º 19º

#LUTO | ARTESÃO DA SANFONA

Mestre da sanfona de 8 baixos, Zé Calixto, morre aos 89 anos

Morreu no Dia Nacional do Forró, neste domingo (13.dez.2020)

Zé Calixto, de 89 anos, paraibano referência na sanfona de oito baixos, morreu neste domingo (13.dez.2020). Quis o destino que fosse justamente no Dia Nacional do Forró, gênero musical que lhe deu régua e compasso. Ele sofria do mal de Alzheimer.

Calixto nasceu em Campina Grande, e foi para o Rio de Janeiro em 1959. Foi da banda de Luiz Gonzaga, que era padrinho da filha de Calixto. Na época, para compor a renda ele se virava em outras atividades. "Aprendi a emboçar uma parece, botar fechadura embutida, cortar um cabelo, afinar sanfonas", enumerou ele em entrevista a esta repórter em 2008, para o site "Overmundo".

Quando o assunto era forró, o perfeccionismo dava as caras. Tinha suas regras. Não gostava, por exemplo, de tocar em trio - formato característico do forró. "É muito pouco, até porque não canto. Gosto de manter um violonista sete cordas, um cavaquinista, zabumbeiro, pandeirista", explicava. Para ele, essa exigência fazia com que fosse pouco convidado para tocar na Feira de São Cristóvão, reduto dos nordestinos e do forró em solo carioca.

Com a mesma sinceridade, falava com preocupação de uma certa "invasão" de bandas nordestinas no forró, no começo dos anos 2000. Para ele, não fariam forró "autêntico". Com todo o respeito que nutria pelos músicos do Rio, ele observava que uma certa febre de "trios pé-de-serra" criou uma falsa imagem do que seria o forró autêntico. "Vejo muitos trios que não inovam, mas também não tocam o forró original".

Ao longo de sua trajetória musical, Zé gravou mais de 25 LPs e 4 CDs, marcando a história da música nordestina ao lado de nomes como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Genival Lacerda.

Zé Calixto – caracterizado como “artesão da sanfona” por Sivuca (1930 – 2006), outro ás do instrumento – nasceu na terra que alardeia fazer “o maior São João do mundo”. Mesmo que tenha residido a maior parte da vida na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Calixto sai de cena associado ao forró junino, tendo sido presença assídua nos eventos do calendário de São João da cidade natal.

O velório deve acontecer nesta segunda-feira (14), no Rio de Janeiro.