12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Ministério Público Federal pede prisão de Pizzolato

A- A+

O procurador da República do Ministério Público Federal em Lages, Santa Catarina, ofereceu denúncia e pediu a prisão do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato por falsidade ideológica.

Nazareno Jorgealém Wolff aponta na denúncia que Pizzolato cometeu o crime sete vezes e utilizou por 12 vezes os documentos falsos nos estados de Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo. Ele tirou passaporte e título de eleitor na Polícia Federal de Lages em nome do irmão morto desde 1978.

Condenado na Ação Penal 470, o 'mensalão', Pizzolato fugiu do Brasil em setembro de 2013 com os documentos falsos do irmão. Dado como foragido, ele foi encontrado e preso na Itália em fevereiro desse ano.

No último dia 29 de outubro, a Corte de Bolonha decidiu soltar Pizzolato, que tem dupla cidadania, e negou o pedido de extradição do governo brasileiro. O caso vai agora para decisão da juíza federal em Lages, Giovana Cortez.

Karla Machado com Brasil 247