01 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

TECNOLOGIA

País com 25 mortes, usa cão robô para alertar população ao distanciamento

Por lá, violar as regras da quarentena pode resultar em multas e até prisão

Um educado cão robô foi encarregado pelas autoridades de Singapura para ajudar a conter as infecções por coronavírus na cidade-estado pedindo que corredores e ciclistas mantenham distância entre eles.

O robô de quatro patas, movimentado por controle remoto e feito pela Boston Dynamics, foi usado pela primeira vez em um parque central no início de maio, como parte de um teste de duas semanas que pode se juntar a outros robôs que policiam os parques de Singapura durante o confinamento em todo o país.

"Vamos manter Singapura saudável", disse em inglês o robô amarelo e preto chamado Spot. "Para sua própria segurança e para os que estão ao seu redor, afaste-se pelo menos um metro. Obrigado", acrescentou, com uma voz feminina suave.

Apesar da educação, as violações das rígidas regras de quarentena de Cingapura podem resultar em pesadas multas e até prisão.

A cidade-estado, com 5,7 milhões de habitantes, possui 39.387 confirmadas com o vírus, dessas,  26.532 estão recuperadas e 25 pessoas acabaram sendo mortas pela Covid-19 no País, bem menor que a realidade brasileira, que já perde mais de 39 mil brasileiros para o vírus. 

No dia 1º de junho o governo autorizou o retorno gradual a normalidade no País, considerando que o vírus estaria controlado. Residentes podem deixar suas casas para tarefas essenciais, como ir ao supermercado, e devem usar uma máscara o tempo todo em público. Exercício ao ar livre é permitido, mas deve ser feito sozinho. Aliás, quase sozinho, o cãozinho robótico estará vigiando os 'teimosos'.  

As autoridades responsáveis pelos testes mais recentes — as agências governamentais de tecnologia e segurança cibernética — disseram em comunicado que o SPOT pode se movimentar em terrenos mais difíceis em parques e jardins.

Além de transmitir mensagens lembrando aos visitantes as medidas de distanciamento social, o Spot é equipado com câmeras e ferramentas de análise para estimar o número de pessoas no parque.

As autoridades disseram que as câmeras não seriam capazes de identificar indivíduos ou gravar dados pessoais.

O Spot também foi recentemente testado para uso em um hospital temporário, levando medicamentos para os pacientes.

Fonte: Reuters