21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

MEIO AMBIENTE | BONITO-MS

Sucuris de 7 metros em MS são atração de turistas estrangeiros e estão em canais de TV

Biólogo paulista que vive há 20 anos em Bonito (MS), é destaque no mundo por meio de suas fotografias e vídeos

A- A+

Biólogo formado pela Universidade de São Paulo com pós-graduação em Jornalismo Científico pela Universidade Estadual de Campinas, Daniel De Granville, vive há 20 anos em entre as regiões do Pantanal e de Bonito (MS), onde desenvolveu gosto pela fotografia ao trabalhar como guia com fotógrafos renomados de vários países. Ele têm ganhado grande visibilidade na internet por registrar grandes sucuris.  

Daniel fez da paixão sua profissão e conduz nos invernos de todos os anos, estrangeiros que vem à Mato Grosso do Sul para aproveitar a vida selvagem. Eles anseiam por ver os grandes animais, sucuris que chegam a medir 7 metros de comprimento.

Segundo biólogo explicou em entrevista ao G1, sua função além de oferecer segurança aos clientes, é também cuidar para que as sucuris não se sintam ameaçadas durante o período em que os registros são feitos. "Deixo bem claro para os fotógrafos, que aqui não se deve chegar muito perto das sucuris e muito menos encostar nelas, até por conta da nossa legislação. Caso o animal se sinta incomodado, a expedição termina naquele momento", explicou ao G1.

Fotos que foram republicadas em sua rede social nos últimos meses, tem viralizado na internet. Mas isso não impressiona se feita uma compração com o currículo de Daniel.

Daniel De Granville Idealizador e Diretor do projeto Photo In Natura, instalado em Bonito (MS). Foto: Ademir Arruda 

O profissional já apresentou exposições e palestras no Brasil, Alemanha, EUA e Argentina. Realizou trabalhos de documentação fotográfica para diversas instituições e em 2015 foi o grande vencedor do I Concurso de Fotografia de Natureza do Brasil, promovido pela Associação de Fotógrafos de Natureza (AFNATURA), onde concorreram mais de 4.400 imagens.

As fotos de Daniel foram publicadas pela National Geographic, Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Cultura de Munique (Alemanha) e Embaixada do Brasil em Kuala Lumpur (Malásia), além de revistas e livros no Japão, Argentina, Uruguai, Hungria, Turquia, Holanda, Espanha e Itália.

Segundo Daniel, o resultado final das imagens feitas da sucuris e que geralmente viralizam nas redes sociais, tem contribuído para a desmistificação de que o animal é perigoso. As fotos que mostram tanto detalhes desses animais, também ajudam no avanço das pesquisas científicas. "Depois que começamos a exibir fotos assim, os turistas que vêm a Bonito e região, têm mostrado mais interesse e curiosidade em ver de perto esses animais", afirma.

Sucuris durante acasalamento, em MS.Sucuris durante acasalamento, em MS. — Foto: Daniel De Granville/Photo in Natura

Seu primeiro livro (o “Guia de Campo de Bonito”), publicado em 2005, está na terceira edição. Em 2008 foi lançado o livro “Água Boa: a natureza em Itaipu depois de Sete Quedas”, com fotos de sua autoria e texto do jornalista ambiental Marcos Sá Corrêa. Sua mais recente publicação é o livro “Diamantes Verdes”, com imagens de Reservas Particulares (RPPNs) de Mato Grosso do Sul.

Conforme o biólogo, as expedições pelas sucuris acontecem no inverno, porque é o período de acasalamento e esse é o motivo de encontrá-las com maior facilidade: "Por conta das baixas temperaturas, nessa época, as noites são frias e, durante o dia, as sucuris costumam sair para tomar sol de manhã e aí é o momento que fica mais fácil para fazer os flagrantes", diz.

Sucuri flagrada durante expedição de fotógrafos, em MS.  Foto: Daniel De Granville/Photo in NaturaSucuri flagrada durante expedição de fotógrafos, em MS. — Foto: Daniel De Granville/Photo in Natura

Segundo Granville, é preciso paciência antes de encontrar os animais, porque esses são discretos, não costumam fazer barulhos e não deixam rastros.

Outro ponto positivo que o biólogo destaca referente aos eventos que possibilitam a observação das sucuris, é que muitos proprietários rurais, hoje demonstram orgulho em ter sucuris em suas propriedades: "Antes era relativamente comum quererem se livrar destes animais, por medo. Hoje eles nos chamam para mostrar o bicho quando encontram", explica.  

O projeto encabeçado por Daniel tem várias excursões, que vão de avistamento de animais a passeios pelos belos rios e trilhas pantaneiras. Para conhecer o projeto basta acessar esse LINK.  

*Com G1 MS.