14 de junho de 2021
Campo Grande 27º 13º

Suíça é o país mais feliz do mundo, Brasil é 16º

A- A+

Um grupo formado por economistas, neurocientistas e estatísticos do mundo todo divulgou a terceira edição do World Happiness Report, uma pesquisa que mede política (e o respectivo sucesso) dos países que visam garantir o bem-estar de seus cidadãos. É uma espécie de Relatório da Felicidade Mundial.

No topo do ranking, aparece a Suíça, seguida pela Islândia e Dinamarca. Completam o top 8, a Noruega , Canadá, Finlândia, Países Baixos e Suécia. Os Estados Unidos ficam em 15º no ranking e logo atrás aparece o Brasil, no 16º lugar. Foram analisados ao todo 158 países. No último lugar, aparece Togo. 

?O World Happiness Report não é elaborado sem uma base científica. Entre seus critérios, estão conceitos desenvolvidos ao longo de décadas nas pesquisas do campo da neurologia e psicologia que defendem que, para manter o cérebro feliz, é preciso manter quatro fatores: 1) ter uma postura positiva; 2) recuperar-se de sentimentos negativos, como tristeza e raiva; 3) preocupação em gastar tempo com família e amigos; 4) estar atento e permitir-se "contagiar" por emoções como alegria. 

Segundo os pesquisadores analisaram, felicidade proporciona uma vida mais longa, saudável e mais produtiva. "Cultivar isso desde cedo é a chave da longevidade", afirma o relatório. Para medir o grau de aproveitamento dos cidadãos pelas políticas públicas implementadas pelo país, os pesquisadores analisam a percepção deles em relação a fatores como: programas sociais; liberdade para fazer escolhas; generosidade; corrupção; e indicadores como expectativa de vida e PIB per capita.  

A pesquisa mostra que as pessoas que participam de programas de treinamento e meditação (alguns tão curtos quanto duas semanas) tendem a apresentar mudanças em áreas chave do cérebro ligadas à memória, perspectiva e auto-conhecimento. "Estes resultados destacam o ponto de vista de que a felicidade e bem-estar são considerados habilidades que podem ser melhoradas através de treinamento", escrevem os pesquisadores em seu relatório.