27 de setembro de 2021
Campo Grande 34º 22º

INTERNACIONAL | HAITI

Vídeo: protestos estouram no funeral de presidente; "Queremos respostas", dizem manifestantes

A viúva do presidente assassinado, Martine Moise, que também foi ferida no ataque, chegou ao funeral aos gritos de "Justiça! Justiça!"

A- A+

CAP-HAITIEN, HAITI - O funeral do presidente haitiano assassinado Jovenel Moise nesta sexta-feira (23.jul.21) foi interrompido por tiros disparados nas proximidades e gás de choque usado em manifestantes, o que levou uma delegação de alto escalão dos EUA a sair abruptamente e outros dignitários a se esquivar em veículos para segurança.

Tiros, estradas bloqueadas, barricadas incendiadas, confrontos e protestos se espalham pelo país desde o assassinato do presidente em 7 de julho.  (Veja aqui).  

Durante o velório, várias personalidades, onde se inclui o novo primeiro-ministro Ariel Henry, ofereceram as condolências à viúva.

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Linda Thomas-Greenfield, e um novo enviado especial ao Haiti, Daniel Foote, estiveram presentes.

''O povo haitiano merece democracia, estabilidade, segurança e prosperidade, e nós estamos com eles neste tempo de crise. Pedimos a todos que se expressem pacificamente e evitem a violência '', disse Thomas-Greenfield no Twitter.

A viúva do presidente assassinado, Martine Moise, que também foi ferida no ataque, chegou ao funeral aos gritos de "Justiça! Justiça! '' Com o braço direito na tipóia, ela caminhou até o caixão em lágrimas, acompanhada por ela três filhos.   

Martine Moise falou publicamente pela primeira vez desde o ataque no final da cerimônia,

“Eles estão nos observando, esperando que tenhamos medo”, disse ela. “Não queremos vingança ou violência. Nós não vamos ter medo. ''