25 de junho de 2021
Campo Grande 30º 19º

Atenção motoristas: está proibido estacionar na Ernesto Geisel a partir do Horto Florestal

A- A+

Os motoristas que trafegam pela Avenida Ernesto Geisel, entre as ruas 26 de agosto até a Antonio Maria Coelho, no centro da Capital, devem estar atento a esta extensão da via, que está com faixa amarela e placas de proibição de estacionamento permanente.

Desde a semana passada, a prefeitura de Campo Grande, por meio da Agetran (Agência Municipal de Transportes e Trânsito), sinalizou o local e divulgou a nova forma de tráfego na região. Após ver a situação de grande fluxo e constante conflito, com engarrafamento e acidentes na via e nas ruas adjacentes ou transversais, como a rua 15 de novembro, foi avaliado e definido pela retirado do estacionamento lateral do local. Conforme a Agetran, o objetivo maior é reordenar o trânsito e consequentemente tornar melhor a mobilidade urbana na área central da Capital.

De acordo com levantamento técnico realizado pela agência, o intenso fluxo no local tem causado paralisação constante a partir da Rua 26 de agosto, onde começa um afunilamento da via, que passa a ter apenas duas faixas de rolamento. Com a proibição do estacionamento, a capacidade de tráfego será ampliada em 33%, com mais uma pista liberada. A prefeitura, por meio da Agetran, fez a revitalização da sinalização vertical e horizontal na avenida, entre as ruas 26 de Agosto e a Antonio Maria Coelho, para a proibição do estacionamento neste trecho, no sentido bairro-centro ou do sul para norte. "Será minimizado os congestionamentos, principalmente nos horários de pico, e dar melhorar a fluidez na via, a partir do Horto Florestal, onde começa a complicar a situação do trânsito", diz Sidney Oshiro, diretor de Trânsito da Agetran. No outro lado da avenida, sentido centro-bairro ou norte-sul, não haverá mudança. De acordo com o diretor-presidente da Agetran, Jean Saliba, a Ernesto Geisel é uma via considerada problemática com registros frequentes de acidentes e congestionamento, principalmente nos horários de pico. “O objetivo é melhorar o fluxo de veículos no centro da cidade e evitar os engarrafamentos. Infelizmente não temos outra solução para o problema de congestionamento no local”, observa. Ele lembra ainda, que a avenida é uma das mais importantes vias arteriais que corta a cidade de norte a sul ligando vários pontos e bairros da capital. “No trecho que será retirado o estacionamento é o mais crítico”, pontuou. Heloísa Lazarini com assessoria