26 de outubro de 2021
Campo Grande 29º 17º

ATENDIMENTO | SAÚDE MENTAL

Capital é a 3ª maior produtora psicossocial, na frente até de cidades mais populosas

A- A+

Com o terceiro maior número de atendimentos psicossociais em relação ao tamanho da população no país, Campo Grande, com  mais de 56 mil atendimentos somente nos seis primeiros meses do ano,fica atrás apenas de Porto Alegre e Curitiba.

Esse levantamento tem base em dados do Ministério da Saúde. Leva em conta o número estimado de moradores nas cidades no ano de 2020 e o total de atendimentos registrados entre janeiro e junho deste ano. 

Ainda, esses dados mostram que a Capital de MS tem desempenho melhor que cidades que possuem uma maior população, como Recife, a quarta colocada. 

Também a pandemia reduziu as agendas nos atendimentos ambulatoriais realizando cerca de 60% da capacidade total das unidades do município, ainda assim foram registrados 56.347 procedimentos psicossociais, uma média de 62,2 atendimentos para cada mil habitantes. 

“Esses são resultados dos investimentos feitos no atendimento à saúde mental no município. O CAPS AD passou a contar com 20 leitos de acolhimento, há dois anos houve a habilitação do ambulatório de saúde mental e recentemente foram implantadas mais duas residências terapêuticas”, explica o secretário municipal de saúde, José Mauro Filho. 

É oferecido na Capital o acolhimento 24 horas a pacientes com transtornos psíquicos, e sem a necessidade de agendamento antecipado, nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Ao todo, são seis unidades, cada uma com equipe multidisciplinar de profissionais composta por: terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos, psicólogos e psiquiatras, que devem avaliar o paciente e encaminhar ao tratamento mais adequado de acordo com o diagnóstico. 

No Centro Especializado Municipal (CEM) funciona o Ambulatório de Saúde Mental que tem o agendamento feito através do sistema de regulação da prefeitura, e funciona para pacientes que fizeram tratamento nos CAPS e que precisam continuar o acompanhamento.  A unidade conta com acolhimento e avaliação feita por profissionais capacitados a fim de encaminhar o paciente ao tratamento adequado.