21 de outubro de 2021
Campo Grande 31º 17º

FAC | UTA

Colheita do Vilas Boas alimenta 150 famílias da comunidade do Bairro Nova Jerusalém

Doações ainda foram feitas com itens do Ceasa, através de projeto do Fundo de Apoio à Comunidade, parceria com Sidagro

A- A+

Mantida pelo Fundo de Apoio à Comunidade (FAC), com apoio da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), a  Unidade Técnica de Agricultura Urbana – UTA, realizou a primeira colheita das hortaliças plantadas na horta escola, que fica localizada no Bairro Vilas Boas. 

Esse projeto visa atender pessoas em situação de risco ou vulnerabilidade social e abrange os programas Hortas Urbanas e o Agricultura Agroecológica. Para Rodrigo Terra, titular da Sidagro, o Plano poderá resgatar a cultura rural no espaço urbano, aproveitando a experiência agrícola dos moradores locais. 

“Desta forma, a Prefeitura poderá ampliar a segurança alimentar por meio do estímulo à produção e consumo de hortaliças, legumes e frutas, com manejo de solo por sistema agroecológico, garantindo o direito à alimentação saudável, além de formar e capacitar os produtores gerando emprego e renda”, argumentou. 

De acordo com a Prefeitura Municipal de Campo Grande, alface crespa, alface americana, alface roxa, rúcula e almeirão estão entre as hortaliças que foram entregues na comunidade do Bairro Nova Jerusalém (Região Bandeira). 

“A realidade das pessoas que vivem na periferia é outra. Elas até podem ter suas casas, mas se você abre a geladeira e o armário, se depara com uma cena que é de cortar o coração”, disse Manoel José "Neto" de Almeida, presidente da Associação de Amigos do Bairro Nova Jerusalém.

Ainda, pelo FAC, os moradores ganharam doações da Centrais de Abastecimento de Mato Grosso do Sul (Ceasa), já que o Fundo passa diariamente pela Central para receber frutas e legumes que não puderam ser comercializados por estarem fora dos padrões, como tamanho e peso, por exemplo.

Neto conta que, neste domingo (19.set.2021), cerca de 150 pessoas levaram para casa o "kit saudável". 

Tatiana Trad, idealizadora da UTA, comentou que esse projeto ainda capacita pessoas para técnicas de cultivo, o que ela encara como possibilidade de um futuro negócio. 

"Eu acredito que possam surgir novos negócios, cooperativas. Teremos mais famílias alimentadas e capacitadas. Hoje, o FAC tem parceria com o Ceasa, com os agricultores urbanos, entre outros, que fazem doação de alimentos para que nós possamos alimentar pessoas que não tem condições, e essa é uma das grandiosidades deste espaço”, afirmou a primeira-dama. 

Segundo informações da Agência Municipal de Notícias, na Unidade Técnica de Agricultura Urbana funcionará a central de classificação, onde o alimento recebido por parceiros da iniciativa pública e privada será separado, higienizado, embalado e entregue para as comunidades.